agricultura

  • Resumo: Até o final do século passado, a agricultura cresceu e se desenvolveu baseada na expansão de novas áreas para o cultivo, levando a perda de grandes áreas de florestas nativas e ecossistemas naturais (Alexandratos e Bruinsma, 2003), acarretando na perda de serviços ambientais. De acordo com Lal (2006), aproximadamente metade de todo o COS em áreas manejadas foi perdido nos últimos 200 anos, sendo esta uma das principais causas da degradação e consequente declínio da fertilidade dos solos. Segundo Lal (2004), cerca de 3,3 Pg/ ano de carbono é emitido para a atmosfera devido ao preparo do solo para a produção de alimentos. Conforme descrito por Smith e Gregory (2013b) e Foley et al. (2011), ao mesmo tempo que garantir a segurança alimentar, há uma necessidade urgente para diminuir o impacto da produção de alimentos no clima (Smith et al., 2008), e de melhorar a resiliência da produção de alimentos para as mudanças ambientais futuras (Smith et al., 2013a; Smith, 2015). De acordo com as projeções do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC), o setor agrícola será muito afetado com a mudança global do clima com impactos na sua produtividade, manejo e na distribuição espacial das culturas hoje existentes. Sendo assim, é necessário mudar o paradigma da agricultura com uso de práticas de manejo que favoreçam o equilíbrio dos atributos físicos e químicos do solo, como aumento dos teores de C, N, retenção de água, redução da perda de solo por erosão e lixiviação. De acordo com Lal (2006), solos degradados podem ser recuperados utilizando técnicas de manejo que aumentem o estoque de carbono. A adoção de sistemas de manejo mais sustentáveis, como a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), surge como uma alternativa em detrimento aos sistemas agrícolas convencionais, com grande potencial de promover melhorias na qualidade do solo, principalmente no que diz respeito ao aumento dos estoques de carbono, em curto e médio prazos (Lovato et al., 2004; Bayer et al., 2006; Gazolla et al., 2015; Nicoloso, 2008; Batlle-Bayer et al., 2010; Sacramento et al., 2013; Piva, 2012; Bayer e Mielniczuk, 1997; Piva, 2012). O sistema ILPF consiste na implantação de diferentes sistemas produtivos de grãos, fibras, carne, leite, agroenergia e outros, na mesma área, em plantio consorciado, sequencial ou rotacionado, aproveitando as sinergias existentes entre eles (MAPA, 2011). A matéria orgânica do solo (MOS) desempenha um papel crucial para a manutenção da atividade agrícola. O acúmulo da MOS promove melhorias nas propriedades física, biológica e química do solo, possibilitando um aumento na produtividade e redução de gastos com irrigação, fertilizantes, condicionadores de solo e outros insumos agrícolas. Entender como a MOS se comporta em diferentes tipos de manejo é essencial para o direcionamento de políticas públicas, que visem a disseminação de práticas agrícolas que aumentem os estoques de COS e reduzam as emissões de GEE. O estoque e balanço de carbono em áreas de agricultura, principalmente em sistemas de ILPF são pouco estudados e entendidos. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é avaliar as alterações nos compartimentos da matéria orgânica do solo decorrentes da implementação de diferentes tipos de manejo (Eucalipto, Lavoura, Pecuária e ILPF) em área de Cerrado, visando o potencial de acúmulo de carbono de cada um desses tipos de manejos.

  • Resumo: O livro apresenta de forma sistematizada as contribuições e os resultados que foram gerados e entregues para a sociedade desde a criação da Embrapa Agrossilvipastoril. O recorte se dá nas ações desenvolvidas entre os anos de 2009, quando a Unidade foi criada, e 2016. O conteúdo da publicação está organizado em 11 partes temáticas: Água, Solo e Clima; Aproveitamento de resíduos; Automação; Sistemas Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF); Produção Animal; Produção Vegetal; Recomposição Florestal; Recursos genéticos e melhoramento vegetal; Transferência de Tecnologia; Comunicação Organizacional; e Área de Gestão e Suporte às Atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Transferência de Tecnologias.

  • Resumo: A presente publicação objetiva apresentar o histórico do experimento denominado ?ILPF Corte? estabelecido e conduzido na Embrapa Agrossilvipastoril. O texto é apresentado de forma detalhada contemplando o planejamento do ensaio, o estabelecimento e condução do mesmo, apresentando sua estrutura física e o manejo da área experimental do ensaio. A Embrapa Agrossilvipastoril (CPAMT), localizada em Sinop, MT, tem como missão viabilizar soluções tecnológicas sustentáveis para os sistemas integrados de produção agropecuária em benefício da sociedade. Neste sentido sistemas de Integração Lavoura- Pecuária-Floresta (ILPF) se apresentam como temas de alta relevância e prioridade de estudos pelo CPAMT. Os sistemas de integração envolvendo ILPF vêm se revestindo de importância crescente na agricultura nacional ao longo dos últimos anos, possibilitando a recuperação de áreas degradadas por meio da intensificação do uso da terra, potencializando os efeitos complementares ou sinergéticos existentes entre as diversas espécies vegetais e a criação de animais, proporcionando, de forma sustentável uma maior produção por área. Para o estabelecimento do experimento ILPF Corte foram seguidas várias etapas tais como planejamento, discussão com equipes multidisciplinares, avaliando-se os objetivos a serem atingidos, a interação entre as diversas áreas técnico-científicas das diversas unidades da Embrapa e outras instituições, considerando ainda aspectos de infraestrutura da empresa e aplicação de recursos com a máxima precisão e eficiência. Nesse contexto, foi articulada uma reunião (Figuras 1 e 2) com vários pesquisadores de dezenove (19) unidades da Embrapa e professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop. A lista dos participantes é apresentada em seguida (Tabela 1), totalizando 30 profissionais das mais variadas áreas de pesquisa. A reunião foi realizada no Instituto Seprotec em Sinop, nos dias 13, 14 e 15 de Setembro de 2010. É importante salientar que a Embrapa Agrossilvipastoril planejou e articulou a reunião com os princípios básicos da necessidade de estruturar um experimento de grande porte, viabilizando-se assim estudos multidisciplinares e multiinstitucionais e de longa duração, viabilizando-se os estudos de indicadores de sustentabilidade ao longo do tempo.

  • Resumo: Introdução. Caracterização do meio físico e do sistema produtivo atual no Vale do Rio Xingu. Concepção, adaptação e desenvolvimento da unidade de referência em integração lavoura-pecuária. Resultados. Alterações na fertilidade do solo na URT após um ano de ILP. Evolução da qualidade física na URT após um ano de ILP. Alterações na fertilidade do solo na URT após dois anos de ILP. Exemplos de adoção das tecnologias vinculadas a ILP na região do Vale do Rio Xingu. Considerações finais.

  • Resumo: O país vem trabalhando no Plano ABC que incorpora bem o conceito de "intensificação sustentável", por meio da indução à adoção de sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). O plano prevê o incremento da adoção de sistemas ILPF em 4 milhões de hectares até 2020. A ratificação do Acordo de Paris sobre mudança do clima pelo governo brasileiro, em 2016, fortaleceu ações desse plano, incluindo em sua "Contribuição Nacionalmente Determinada- INDC" (Intended Nationally Determined Contribution - INDC) o incremento de mais 5 milhões de hectares até 2030. Os sistemas ILPFs não dizem respeito a um sistema de produção em particular, mas sim a uma estratégia que pode incorporar diversas tecnologias e mesmo diversos sistemas de produção. Como pressuposto básico, preconiza a adoção do Sistema de Plantio Direto (SPD).

  • Resumo: Base conceitual: conceito, sistemas de integração. Potencial de utilização da iLPF nos biomas brasileiros; Estado da arte da iLPF nos biomas brasileiros: Amazônia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal, Pampa. Estimativa de área potencial para iLPF. Estado da arte da iLPF nos biomas brasileiros: Amazônia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal, Pampa. Pesquisa, desenvolvimento e inovação em iLPF: linhas temáticas para pesquisa em iLPF. Transferência de conhecimentos e tecnologia. Principais desafios para a transferência de tecnologias em iLPF. Diretrizes da Embrapa para iLPF. Conceptual framework: definition, integrated systems. CLF integration advantages. Possible uses of CLF integration on Brazilian biomes: Amazon, Cerrado Caatinga, Atlantic Forest, Pantanal, Pampa. Estimates of possible areas to use CLF integration. State of the art of CLF integration in the Brazilian biomes: Amazon, Cerrado Caatinga, Atlantic Forest, Pantanal, Pampa. Research, development and innovation in CLF integration: thematic issues to CLF integration research. Kowledge and technology transfer. Main challenges to CLF integration technology transfer. Embrapa guidelines to CLF integration.

  • Resumo: O conhecimento do comportamento dos componentes dos sistemas ILPF em seus diversos arranjos é fundamental e para a adoção destes sistemas. Trata-se de sistemas complexos, especialmente quando está presente o componente florestal, que são, segundo Balbino et al. (2011), os mais complexos e que demandam maior conhecimento técnico. Portanto, objetivou-se com esse trabalho avaliar a produtividade de grãos, carne e madeira em diferentes sistemas de produção exclusivos e integrados ILPF no Norte de Mato Grosso.

  • Resumo: Introdução. As fontes de emissões na agricultura. Os gases de efeito estufa. O dióxido de carbono equivalente (CO2eq). O que é o GTP e o GWP? Como ocorrem as remoções de gases na agricultura? Potencial de mitigação de gases de efeito estufa via ILPF. Considerações finais.

  • Resumo: O conhecimento do comportamento dos componentes dos sistemas ILPF em seus diversos arranjos é fundamental e para a adoção destes sistemas. Os sistemas ILPF são sistemas complexos, especialmente quando está presente o componente florestal, que são, segundo Balbino et al. (2011), os mais complexos e que demandam maior conhecimento técnico. O conhecimento de como as culturas da soja e do milho se desenvolvem nestes sistemas e fundamental para adoção de técnicas que irão proporcionar maior eficiência assim como no planejamento e na decisão do manejo de sistemas integrados. Melhores entendimentos das exigências climáticas destas culturas e das relações de incidência solar, sombreamento e água no sistema solo-planta-atmosfera contribuirão para minimizar os riscos de insucesso da produção agrícola. O conhecimento sobre a distribuição da radiação solar no entre renque ou sub-bosque em sistemas agrossilvipastoris adquire grande importância como base para planejar mais adequadamente o manejo dos componentes do sistema, tanto agrícolas, como florestais, como pastagem (Oliveira, 2005). A continuidade de avaliações ao longo do ciclo de crescimento das árvores são necessárias para determinar a magnitude espacial e temporal de seus efeitos sobre as lavouras de grãos e plantas forrageiras e para gerar subsídios técnicos para a otimização da combinação dos diferentes componentes da ILPF aliadas à avaliação econômica do sistema. Portanto, objetivou-se com esse trabalho avaliar o comportamento das culturas da soja e milho em diferentes sistemas de produção exclusivos e integrados ILPF no Norte de Mato Grosso.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva