efeito estufa

  • Resumo: A avaliação das emissões de gases de efeito estufa do solo de sistemas de produção agropecuários exclusivos, como lavoura de soja, pastagem e plantio de floresta de eucalipto, bem como de sistemas integrados, permite conhecer o papel destes frente aos desafios de diminuição das emissões de gases relacionados ao aquecimento do planeta (Smith et al., 2008). A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima estabelece metas para redução das emissões de gases nos diversos setores da nossa economia, com o objetivo maior de impedir ou diminuir a influência das atividades do homem no sistema climático (IPCC, 2007). Se não fizermos as medições das nossas emissões, conforme descrição de protocolos internacionais, serão contabilizados valores fora da realidade, atribuindo mais emissões de gases do que realmente emitidos pelo país (IPCC, 2007). No setor agropecuário, esse conhecimento permite a adoção de práticas de manejo que mais contribuem para a mitigação das emissões para as nossas condições edafoclimáticas. Ressalta-se que esses resultados ganham ainda mais importância para afirmar junto aos demais países que os nossos produtos agropecuários emitem muito menos do que é atribuído.

  • Resumo: O Brasil é duramente criticado pelas emissões de gases de efeito estufa (GEE). Tal fato deve-se ao tamanho do rebanho de bovinos, considerado o maior do mundo (ABIEC, 2017) e pela forma de exploração desses animais em sistemas de produção em pastagens, que em sua grande maioria apresenta algum grau de degradação ou baixo potencial de produção, elevando a idade ao abate e, por consequência, as emissões de metano oriundo de fermentação entérica. Sistemas integrados de produção, com pastos bem manejados podem disponibilizar ao animal uma forragem de melhor valor nutricional, alavancando o desempenho animal e reduzindo as emissões de GEE por unidade de produto obtido. Todavia, para que seja verificada essa eficácia no sistema de produção é necessária a mensuração dos gases produzidos pelo metabolismo animal, assim como entender o comportamento das emissões ao longo do dia. Existem diversos métodos para mensurar as emissões de metano entérico em ruminantes. Contudo, o GreenFeed® (C-lock Inc) é o único equipamento disponível no mercado que permite medir as emissões de metano entérico de ruminantes (bovinos de corte, leite, ovinos e caprinos) nos mais diversos sistemas de produção (pasto e confinamento) sem que haja a interferência humana. Além disso, permite verificar as variações nas emissões de metano ao longo do dia e durante longos períodos, com controle sobre a quantidade e tipo de alimento fornecido. Nesse contexto, objetivou-se avaliar e verificar as variações nas emissões de metano entérico de bovinos de corte em sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva