Eucalipto

  • Resumo: O sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) vem se consolidando como uma alternativa viável de produção agropecuária, integrando os componentes lavoura, pecuária e floresta, em rotação, consórcio ou sucessão, na mesma área e principalmente, por possibilitar que o solo seja explorado economicamente durante todo o ano, favorecendo o aumento na oferta de grãos, de carne e de leite a um custo mais baixo, devido ao sinergismo que se cria entre lavoura e pastagem e floresta. Dentro do grupo das arbóreas, o eucalipto é uma das mais estudadas e conhecidas tendo grande variabilidade genética e, consequentemente, propriedades distintas que predispõem as árvores para aplicação em diversos setores (Pereira et al., 2000) com destaque por apresentarem rápido crescimento em diferentes habitats, elevado rendimento econômico e inúmeras aplicações (Macedo et al., 2010) além da boa adaptação que suas espécies tiveram em quase todo o território nacional, apresentando produtividades muito elevadas (Mora; Garcia, 2000; Valverde et al., 2004; Vellini et al., 2008). Assim, o conhecimento das causas de redução ou estagnação do desenvolvimento e crescimento da planta pode auxiliar na escolha de materiais geneticamente superiores e/ou adoção de técnicas de manejo mais adequadas para a redução do tempo de produção, para o aumento da eficiência produtiva (ex.: aumento da eficiência do uso de recursos naturais), e maximização do volume comercializável do fuste das árvores (Wimmer et al., 2002). A limitação do crescimento das plantas imposta pela baixa disponibilidade de água devese, principalmente, à redução do balanço de carbono da planta, que é em grande parte dependente da fotossíntese (Flexas et al., 2009). A fotossíntese é muito responsiva a disponibilidade de água, sendo que o déficit hídrico reduz a fotossíntese por meio do fechamento dos estômatos e diminui a eficiência do processo de fixação de carbono (Pallardy, 2008). O objetivo deste trabalho foi avaliar características fisiológicas e dendrométricas de um clone de Eucalyptus grandis X Eucalyptus urophylla sob estresse hídrico, em condições de campo, do início da estação seca até a estação chuvosa, visando o estudo do efeito da irrigação na antecipação da entrada de animais em sistemas integrados com a presença do componente arbóreo.

  • Resumo: O sistema silvipastoril é uma opção tecnológica de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) que consiste na combinação intencional de árvores, pastagens e gado numa mesma área e ao mesmo tempo. A aprovação da Lei 708/07 (02/04/2013), que institui a Política Nacional de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) no Brasil, reforça o crescente interesse na utilização de sistemas de produção sustentáveis. A integração ILPF vem sendo adotada em todo o Brasil e, atualmente, soma cerca de 11,5 milhões de hectares. Em Mato Grosso, a área implantada com sistemas de integração tem aumentado, sendo, atualmente, de 1,5 milhões de hectares distribuídos em 41 municípios. No entanto, em apenas 10% desta área, o componente florestal está presente (Embrapa, 2017). Para árvores em sistemas de integração ainda existem poucas informações em relação às variações de crescimento, produção, alocação da biomassa e qualidade da madeira. Estas informações são fundamentais para acessar o mercado de madeira serrada, que propicia maior valor agregado e maiores taxas de retorno aos produtores. Uma das formas de avaliar o efeito das tensões de crescimento é por meio da excentricidade da medula, pois troncos com medula excêntrica são mais propensos ao empenamento, formação de fendas circulares, além de serem problemáticos para o processamento mecânico (Randomski; Ribaski, 2010). A densidade básica é outro indicador útil da qualidade da madeira e das suas possibilidades de uso (Valério et al., 1998). Neste contexto, o objetivo foi avaliar e comparar o crescimento, as variações na produção e alocação da biomassa arbórea, na densidade básica da madeira e no deslocamento da medula ao longo do fuste de árvores de eucalipto implantadas em sistema silvipastoril e monocultivo.

  • Resumo: Objetivou-se avaliar o desempenho dos clones de eucalipto VM01 e GG100 em diferentes espaçamentos entre árvores dentro do renque em sistema iLPF. No campo experimental da Embrapa, em Porto Velho, formou-se um sistema iLPF com seis renques, sendo três de GG100 e três de VM01. Os espaçamentos entre árvores dentro do renque foram de 3,5 m x 2,0 m e 3,5 m x 3,0 m. Aos 51 meses após o plantio, o VM01 apresentou maior sobrevivência, maior DAP e maior volume por parcela que o GG100.O DAP e o volume por árvore foram maiores no espaçamento mais amplo. O VM01 no espaçamento de 3,5 m x 3,0 m é a melhor combinação.

  • Resumo: A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) consiste de diferentes sistemas produtivos de grãos, fibras, madeira, carne, leite e agroenergia, implantados na mesma área, em consórcio, em rotação ou em sucessão, envolvendo o plantio, principalmente, de grãos e a implantação ou recuperação de pastagens. O presente trabalho teve por objetivo avaliar o desempenho de dois híbridos de eucalipto: Grancam 1277 (Eucalyptus grandis x Eucalyptus camaldulensis) e Urograndis H-13 (Eucalyptus urophila x Eucalyptus grandis), sob o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), na região Noroeste Paulista. O experimento foi realizado em Votuporanga, SP, com delineamento experimental inteiramente casualizado, com quatro repetições, em uma área com pastagem degradada, implantada há dez anos, de aproximadamente 10 ha. Concluiu-se que o híbrido Grancam 1277 apresentou maior desenvolvimento em altura, na fase inicial, e maior diâmetro após 414 dias do plantio.

  • Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar a distribuição horizontal e vertical do fósforo no solo e a produtividade de soja em sistemas de cultivos exclusivos e de integração lavoura?pecuária?floresta (ILPF). Foram avaliados os tratamentos: floresta plantada de eucalipto; lavoura de soja e milho safrinha consorciado com Urochloa brizantha 'Marandu'; pastagem de U. brizantha; sistema de ILPF; e duas áreas controle, com floresta nativa e pousio. O solo foi coletado nas camadas de 0?5, 5?10, 10?20 e 20?30 cm, para determinação das características químicas. As avaliações foram realizadas no segundo ano agrícola após a implantação do experimento. No sistema de ILPF, solo e produtividade foram avaliados em quatro transectos equidistantes, no centro do renque e a 3, 6, 10 e 15 m do renque, nas faces norte e sul. Os teores de P disponível (Mehlich?1) foram maiores nas camadas superficiais do solo, nos sistemas com soja/milho safrinha e com ILPF. No ILPF, os teores de P disponível não diferiram entre as distâncias do renque das árvores, e a produtividade de soja não diferiu da observada no sistema com soja/milho safrinha. Portanto, com dois anos de implantação, o sistema ILPF ainda não é capaz de interferir marcadamente nas características químicas do solo e na produtividade da soja.

  • Resumo: A integração de espécies vegetais pode promover um aumento da biodiversidade de insetos herbívoros e favorecer a permanência de predadores nesse habitat devido à existência de alimento. Consequentemente, a ocorrência de outbreaks de populacões de fitófagos é reduzida. Diante disso, objetivou-se avaliar a flutuação populacional de insetos -praga pertencentes à Psylloidea e Thysanoptera, bem como adultos de Neuroptera como grupo de predadores, em eucalipto em sistemas integrados de produção (silvipastoril, silviagrícola e agrossilvipastoril) e em monocultivo. O ensaio está localizado em Sinop/MT (11 0 51? 38??S e 55 0 37? 01??O) em um delineamento experimental de blocos ao acaso com quatro repetições, sendo cada parcela constituída de 2 ha. Para amostragem dos insetos foram utilizadas 02 armadilhas adesivas amarelas (10 x 12 cm), instaladas equidistantes por parcela a 1,8 m do solo e elevadas conforme o crescimento da altura das copas. As coletas foram realizadas quinzenalmente, durante o período da seca (junho a setembro) e mensalmente durante o período chuvoso (outubro a dezembro) de 2013. No laboratório realizou-se a quantificação e identificação dos insetos utilizando um estéreo-microscópio e material bibliográfico. Utilizando a análise de agrupamento hierárquica em dendrograma, observ ou-se que os sistemas produtivos em que o eucalipto está integrado se agrupam e são diferentes do eucalipto em monocultivo. Apenas a população de Thysanoptera foi significativamente maior no eucalipto em monocultivo. Entretanto, em todos os tratamentos, a comunidade de herbívoros -praga não causaram danos no eucalipto. Desta forma, a presença de fitófagos em sistemas integrados pode contribuir para o Manejo Integrado de Pragas por atuar como fonte de alimentos para predadores como os crisopídeos que se manterão no agroecossistema durante a entressafra das culturas anuais

  • Resumo: O desflorestamento para o estabelecimento de projetos agrícolas na Amazônia brasileira tem resultado em vastas áreas degradadas. Desta forma, sistemas de interação lavoura-pecuária-floresta (iLPF) tornam-se uma alternativa essencial para conciliar a produção agrícola com a sustentabilidade. Assim, objetivou-se com este trabalho avaliar o crescimento inicial de três espécies florestais: mogno africano (Khaya ivorensis), eucalipto urophylla (Eucalyptus urophylla) e paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum) para sua adaptação em sistemas de iLPF sobre áreas degradadas, no Leste da Amazônia. As avaliações de performance das espécies estudadas foram feitas por meio de um experimento conduzido na Fazenda Vitória, município de Paragominas, Estado do Pará, Brasil. No experimento foram comparadas as performances das espécies em sistema de iLPF e em monocultivo. As três espécies florestais mostraram crescimento satisfatório em altura e diâmetro em ambos os tratamentos. O mogno apresentou maior crescimento em altura e DAP no sistema iLPF enquanto que o eucalipto e o paricá tiveram maior crescimento somente em altura no sistema de monocultivo e nenhuma diferença em DAP. O paricá apresentou a maior percentagem de sobrevivência, seguido por mogno e eucalipto.

  • O teor de fibra e digestibilidade in vitro da material seca (DIVMS) das forrageiras são variáveis de grande interferência na produção animal e podem ser influenciados pelo nível de sombreamento do sistema. O objetivo com este trabalho foi avaliar teor de fibra e digestibilidade do capim Marandu (Brachiaria brizantha cv. Marandu) em sistema silvipastoril. O delineamento foi inteiramente casualizado, em parcela subdividida, com quatro repetições. Os teores de FDN e FDA foram maiores no outono (63,4% e 30,8%) e menores para inverno e verão (59,0 e 27%). A DIVMS foi afetada pela interação estações do ano x face de exposição do renque de Eucalipto (P<0,05). Na face norte a digestibilidade foi maior para verão e outono (77,2%) e menor para inverno (75,3%). A face sul apresentou maior digestibilidade no verão (81%), e valor intermediário no outono (77%) com menor valor no inverno (71%). O teor de fibra e digestibilidade da forragem de capim Marandu em sistemas silvipastoris com renques espaçados de 30 metros e com árvores de até 9 metros varia em função da distância do renque, face de exposição e estação do ano.

  • Resumo: Este trabalho visa apresentar os resultados e desdobramentos obtidos durante uma década de implementação e condução do sistema de iLPF e destacar os seus aspectos inovadores e sustentáveis na Fazenda Boa Vereda, no município de Cachoeira Dourada, sul do Estado de Goiás.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva