paricá

  • Resumo: O trabalho tem como objetivo avaliar o solo e o crescimento da espécie paricá (Schizolobium amazonicum) no sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) e no sistema homogêneo para recuperação de áreas de pastagens degradadas. Utilizou-se milho (BRS 1030) como cultivo de grãos, para forragem usou-se a Brachiaria ruziziensis e a espécie florestal utilizada foi o paricá. O crescimento do paricá em altura foi mensurado até o quinto ano de cultivo, a circunferência à altura do peito (CAP) foi mensurado a partir do segundo ano da instalação do sistema iLPF. Na avaliação dos cincos anos as árvores de paricá no iLPF apresentaram menores valores de altura de planta e maiores valores de CAP quando comparadas com o sistema homogênio. O excesso de chuva nos meses de fevereiro a maio de 2009 causaram prejuízos na produtividade e na qualidade dos grãos de milho. Apesar disto, o milho apresentou bons resultados no consórcio com forragem intercalado com paricá. Houve recuperação e manutenção da capacidade produtiva do solo, redução de carbono, matéria orgânica, teor de fósforo, saturação por bases e aumento no teor de alumínio com o aumento da profundidade do solo. Essas peculiaridades do iLPF implicam em diferentes estratégias de manejo da fertilidade do solo.

  • Resumo: O desflorestamento para o estabelecimento de projetos agrícolas na Amazônia brasileira tem resultado em vastas áreas degradadas. Desta forma, sistemas de interação lavoura-pecuária-floresta (iLPF) tornam-se uma alternativa essencial para conciliar a produção agrícola com a sustentabilidade. Assim, objetivou-se com este trabalho avaliar o crescimento inicial de três espécies florestais: mogno africano (Khaya ivorensis), eucalipto urophylla (Eucalyptus urophylla) e paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum) para sua adaptação em sistemas de iLPF sobre áreas degradadas, no Leste da Amazônia. As avaliações de performance das espécies estudadas foram feitas por meio de um experimento conduzido na Fazenda Vitória, município de Paragominas, Estado do Pará, Brasil. No experimento foram comparadas as performances das espécies em sistema de iLPF e em monocultivo. As três espécies florestais mostraram crescimento satisfatório em altura e diâmetro em ambos os tratamentos. O mogno apresentou maior crescimento em altura e DAP no sistema iLPF enquanto que o eucalipto e o paricá tiveram maior crescimento somente em altura no sistema de monocultivo e nenhuma diferença em DAP. O paricá apresentou a maior percentagem de sobrevivência, seguido por mogno e eucalipto.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva