sistema de produção

  • Resumo: A inserção de tecnologias sustentáveis em pequenas propriedades é o principal desafio dos projetos desenvolvidos na Base experimental de sistemas integrados de produção de leite. Trata-se de uma linha multidisciliplinar e multiinstitucional que visa conhecer e validar tecnologias de associações, consorciações e sucessões voltadas a pequenas áreas cuja finalidade principal é a produção de leite. Para isso, foram conduzidos diversos experimentos na citada Base Experimental da Embrapa Agrossilvipastoril em Sinop, MT. Os estudos abrangem avanços no conhecimento dentro e entre os componentes agrícolas, pecuário, pastoril e arbóreo, passando pela transversalidade de estudos em emissão de gases de efeito estufa, microclima, economia, utilização de resíduos, espacialização e modelagem dos dados, divulgação e transferência de tecnologia. A expectativa é responder à sociedade com soluções tecnológicas aplicáveis e sustentáveis para melhoria dos sistemas de produção de leite em ambiente tropical, especificamente cerrado e área de transição onde se concentra grande parte das áreas agricultáveis do Brasil.

  • Resumo: A arborização de pastagens é uma forma de uso da terra também conhecida por sistema silvipastoril. Principalmente em condições de elevadas temperaturas como as do Centro-Oeste brasileiro, a utilização de árvores para amenizar o estresse pelo calor de rebanhos leiteiros pode ser determinante da eficiência produtiva, reprodutiva e sanitária (Blackshaw; Blackshaw, 1994). A maioria das raças bovinas tende a sofrer estresse pelo calor em regiões quentes e com alta incidência de radiação, sendo alternativa o sombreamento por árvores para evitar esse efeito. Foram encontrados valores médios de temperatura da superfície corporal em pleno sol, pequenos bosques e árvores isoladas de 35,3°C, 34,3°C e 34,7°C, respectivamente (Navarini et al., 2009). Entretanto, na região centro-oeste a temperatura do ar no final do período das águas pode atingir até 45ºC ao meio dia, exigindo inevitavelmente formas de amenização dessas condições para produção animal eficiente (Lopes et al., 2016). Práticas de manejo, como o momento correto de entrada dos animais nos piquetes, populações de árvores e adequação do nível de utilização da forragem permitem ganhos de peso vivo por animal e por área satisfatório, podendo melhorar a produtividade de sistemas silvipastoris. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do sombreamento no comportamento de pastejo novilhas leiteiras e na massa de forragem disponível em sistemas silvipastoris com eucalipto e pastagem de capim Piatã sob pastejo rotativo em condições de sombreamento em distintas épocas do ano na região de transição Cerrado-Amazônia.

  • Resumo: A produtividade da pastagem nos sistemas agrossilvipastoris é influenciada por uma série de fatores, tais como: densidade de árvores; altura das árvores; arquitetura da copa e fenologia de cada espécie. A modificação do ambiente luminoso e o microclima gerado pelas copas das árvores pode alterar as características estruturais do dossel forrageiro e o valor nutritivo do estrato pastejável. Em sistemas de produção animal em pasto, a estrutura do dossel forrageiro é considerada causa e ao mesmo tempo consequência do processo de pastejo (Carvalho et al., 2009), sendo responsável pela quantidade de nutrientes ingeridos pelos animais (Carvalho et al., 2001). Nesse sentido, as alterações promovidas pela sombra das árvores podem influenciar os padrões de busca e preensão de forragem, interferindo na quantidade e qualidade dos nutrientes ingeridos ao longo do dia, com potencias impactos sobre o desempenho e produtividade animal. Com base no exposto, o objetivo geral deste trabalho foi avaliar o efeito do sombreamento sobre a estrutura do dossel forrageiro de Brachiaria brizantha (Hoschst. Ex A. Rich) cv. Piatã sobre o comportamento ingestivo dos animais em pastejo e sobre o valor nutritivo da forragem consumida.

  • Resumo: O crescimento populacional e consequentemente da demanda por alimentos, fibra e energia tem provocado mudanças significativas no uso e cobertura dos solos, em especial nas regiões de clima tropical (Foley et al., 2005), o que, por sua vez, tem resultado no processo erosivo acelerado dos solos. A erosão hídrica acelerada é um dos principais fatores que atuam na redução da produtividade dos solos agrícolas (Carvalho et al., 2007). Esta, por sua vez, depende da precipitação, topografia, cobertura vegetal e das práticas conservacionistas utilizadas nos sistemas de produção. Entre esses fatores, os dois últimos são determinantes na redução da erosão hídrica em sistemas agrícolas, pois atuam tanto na redução do impacto das gotas da chuva quanto no aumento da matéria orgânica do solo, favorecendo o desenvolvimento do sistema radicular e a melhoria de atributos físicos do solo relacionados à infiltração de água e à agregação. Neste contexto, a implementação de sistemas integrados de produção, tais como a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), apresenta potencialidade para a ?intensificação? sustentável e conservação dos recursos água e solo, base para todo sistema de produção. Objetivou-se com este trabalho avaliar as perdas de água e solo em área com sistemas ILPF e em área com solo exposto. Adicionalmente, buscou-se avaliar também a taxa de infiltração de água no solo.

  • Resumo: Ainda que os sistemas de integração se mostrem como uma estratégia promissora para o aumento da produtividade e otimização do uso da terra, a falta de resultados econômicos é, muitas vezes, um obstáculo para a adoção desses sistemas. Por meio do acompanhamento dos experimentos de integração realizados na Embrapa Agrossilvipastoril foi possível realizar o mapeamento das atividades de implantação e condução dos sistemas. No presente trabalho será apresentada uma análise do custo operacional do sistema de integração lavoura-pecuária, integração pecuária-floresta e integração lavoura-pecuária-floresta implantados na Embrapa Agrossilvipastoril, no período de 2011 a 2016

  • Resumo: Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito das árvores de pau-branco (Cordia oncocalyx) sobre parâmetros fisiológicos, altura e biomassa do milho, em diferentes distâncias das árvores, em sistema agrossilvipastoril. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos ao acaso, com quatro tratamentos (distâncias do caule das árvores de 1, 2, 3 e 4 m), além do controle (plantas do cultivo tradicional), e cinco repetições. Cada parcela consistiu de uma árvore de pau-branco, ao centro, e linhas de milho plantadas nas quatro distâncias avaliadas do caule. As medidas fisiológicas e a produção de matéria seca foram registradas aos 30, 60 e 90 dias após o semeio do milho. As plantas sob a copa do pau-branco, a 1 e 2 m do caule, tiveram suas trocas gasosas, altura e produção de matéria seca afetadas pelas árvores. As plantas cultivadas a 3 m do caule tiveram desempenho semelhante ao observado no cultivo tradicional, e as cultivadas a 4 m apresentaram maior fotossíntese, condutância estomática, transpiração, altura e produção de matéria seca. As plantas de milho sob a copa são afetadas negativamente pelo sombreamento das árvores, enquanto as plantas fora da copa podem se beneficiar da presença das árvores no sistema. [Development of maize under influence of "pau-branco" trees in an agrosilvopastoral system]. Abstract: The objective of this work was to evaluate the effect of "pau-branco" (Cordia oncocalyx) trees on physiological parameters, height, and biomass of maize at different distances from the trees in an agrosilvipastoral system. The experimental design was a randomized complete block with four treatments (distances from trees of 1, 2, 3, and 4 m), besides a control (plants cultivated in the traditional system), and five replicates. The plots consisted of one "pau-branco" tree at the center, and maize rows planted at the four evaluated distances from the tree stem. Physiological measurements and dry matter production were recorded at 30, 60, and 90 days after the sowing of maize. The plants under the canopy of "pau-branco" - at 1 and 2 m from the stem - had their gas exchange, height, and dry matter production affected by the trees. The plants 3 m away from the stem had similar performance to those in the traditional system, and the plants at 4 m of distance had higher photosynthesis, stomatal conductance, transpiration, height, and dry mass production. Maize plants under the canopy are negatively affected by tree shading, whereas plants outside the canopy can be favored by the presence of trees in the system.

  • Resumo: O agronegócio brasileiro tem sido o principal responsável por sustentar a balança comercial nas últimas décadas. Entre todas as cadeias, a atividade pecuária deve ser destacada devido ao seu potencial para produzir carne bovina proveniente de animais criados em pastagens sem uma dependência maciça de suplementos de grãos e/ou aditivos. Embora existam alguns benefícios do modelo brasileiro, a produtividade invariavelmente está abaixo das expectativas em muitas fazendas, principalmente devido à disponibilidade de pastagens degradadas e baixa adoção de tecnologia. Além disso, o gado alimentado com capim no Brasil normalmente vive toda a sua vida em pastagens com baixa ou mínima diversidade de plantas, sem sombreamento e sob condições tropicais. Os sistemas silvipastoris têm potencial para mitigar efeitos climáticos como o estresse por calor (Baliscei et al., 2012; Galindo et al., 2013), reduzindo as perdas relacionadas ao baixo consumo de matéria seca (Wheelock et al., 2010), falhas na reprodução (Walsh et al., 2011) e saúde animal (Peli et al., 2013). No entanto, o sombreamento potencialmente pode piorar o parasitismo nos rebanhos criados nestes sistemas conforme descrito por Faria et al. (2016). Por outro lado, alguns estudos mostraram que os sistemas silvipastoris poderiam influenciar a ecologia da macrofauna edáfica, elevando as chances de controle biológico contra parasitas de bovinos (Soca et al., 2002; Auad et al., 2011). De acordo com Giraldo et al. (2011), as árvores fornecem um habitat adequado para escaravelhos e outros decompostos de esterco bovino, e algumas espécies atuam como predadores de parasitos que afetam negativamente o gado. O objetivo do presente estudo foi avaliar a riqueza, a abundância, a diversidade e a frequência de espécies de coleópteros em pastagem aberta e sistema silvipastoril estabelecido com Brachiaria brizantha cv. Marandu consorciado com árvores de eucalipto (Eucalyptus urograndis, H13 clone). Além disso, em ambos os sistemas, o estudo avaliou também a decomposição de bolos fecais, as condições microclimáticas e a taxa de lotação de novilhos Nelore.

  • Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar a distribuição horizontal e vertical do fósforo no solo e a produtividade de soja em sistemas de cultivos exclusivos e de integração lavoura?pecuária?floresta (ILPF). Foram avaliados os tratamentos: floresta plantada de eucalipto; lavoura de soja e milho safrinha consorciado com Urochloa brizantha 'Marandu'; pastagem de U. brizantha; sistema de ILPF; e duas áreas controle, com floresta nativa e pousio. O solo foi coletado nas camadas de 0?5, 5?10, 10?20 e 20?30 cm, para determinação das características químicas. As avaliações foram realizadas no segundo ano agrícola após a implantação do experimento. No sistema de ILPF, solo e produtividade foram avaliados em quatro transectos equidistantes, no centro do renque e a 3, 6, 10 e 15 m do renque, nas faces norte e sul. Os teores de P disponível (Mehlich?1) foram maiores nas camadas superficiais do solo, nos sistemas com soja/milho safrinha e com ILPF. No ILPF, os teores de P disponível não diferiram entre as distâncias do renque das árvores, e a produtividade de soja não diferiu da observada no sistema com soja/milho safrinha. Portanto, com dois anos de implantação, o sistema ILPF ainda não é capaz de interferir marcadamente nas características químicas do solo e na produtividade da soja.

  • Resumo: A avaliação das emissões de gases de efeito estufa do solo de sistemas de produção agropecuários exclusivos, como lavoura de soja, pastagem e plantio de floresta de eucalipto, bem como de sistemas integrados, permite conhecer o papel destes frente aos desafios de diminuição das emissões de gases relacionados ao aquecimento do planeta (Smith et al., 2008). A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima estabelece metas para redução das emissões de gases nos diversos setores da nossa economia, com o objetivo maior de impedir ou diminuir a influência das atividades do homem no sistema climático (IPCC, 2007). Se não fizermos as medições das nossas emissões, conforme descrição de protocolos internacionais, serão contabilizados valores fora da realidade, atribuindo mais emissões de gases do que realmente emitidos pelo país (IPCC, 2007). No setor agropecuário, esse conhecimento permite a adoção de práticas de manejo que mais contribuem para a mitigação das emissões para as nossas condições edafoclimáticas. Ressalta-se que esses resultados ganham ainda mais importância para afirmar junto aos demais países que os nossos produtos agropecuários emitem muito menos do que é atribuído.

  • Resumo: A presente publicação objetiva apresentar o histórico do experimento denominado ?ILPF Corte? estabelecido e conduzido na Embrapa Agrossilvipastoril. O texto é apresentado de forma detalhada contemplando o planejamento do ensaio, o estabelecimento e condução do mesmo, apresentando sua estrutura física e o manejo da área experimental do ensaio. A Embrapa Agrossilvipastoril (CPAMT), localizada em Sinop, MT, tem como missão viabilizar soluções tecnológicas sustentáveis para os sistemas integrados de produção agropecuária em benefício da sociedade. Neste sentido sistemas de Integração Lavoura- Pecuária-Floresta (ILPF) se apresentam como temas de alta relevância e prioridade de estudos pelo CPAMT. Os sistemas de integração envolvendo ILPF vêm se revestindo de importância crescente na agricultura nacional ao longo dos últimos anos, possibilitando a recuperação de áreas degradadas por meio da intensificação do uso da terra, potencializando os efeitos complementares ou sinergéticos existentes entre as diversas espécies vegetais e a criação de animais, proporcionando, de forma sustentável uma maior produção por área. Para o estabelecimento do experimento ILPF Corte foram seguidas várias etapas tais como planejamento, discussão com equipes multidisciplinares, avaliando-se os objetivos a serem atingidos, a interação entre as diversas áreas técnico-científicas das diversas unidades da Embrapa e outras instituições, considerando ainda aspectos de infraestrutura da empresa e aplicação de recursos com a máxima precisão e eficiência. Nesse contexto, foi articulada uma reunião (Figuras 1 e 2) com vários pesquisadores de dezenove (19) unidades da Embrapa e professores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), campus Sinop. A lista dos participantes é apresentada em seguida (Tabela 1), totalizando 30 profissionais das mais variadas áreas de pesquisa. A reunião foi realizada no Instituto Seprotec em Sinop, nos dias 13, 14 e 15 de Setembro de 2010. É importante salientar que a Embrapa Agrossilvipastoril planejou e articulou a reunião com os princípios básicos da necessidade de estruturar um experimento de grande porte, viabilizando-se assim estudos multidisciplinares e multiinstitucionais e de longa duração, viabilizando-se os estudos de indicadores de sustentabilidade ao longo do tempo.

  • Resumo: Nos solos tropicais, as perdas de carbono (C) e nitrogênio (N) e consequente aumento das emissões de gases do efeito estufa (GEE) são intensificados em virtude da combinação entre alta temperatura e umidade (Scholes et al., 1997), associadas às relativamente baixas quantidades de material orgânico aportado nos sistemas, e resultam no aumento da degradação da matéria orgânica do solo (Cardoso et al., 2010; Silva Júnior et al., 2009). Neste sentido, a busca por sistemas agropecuários que aliem de forma sinérgica produção e sustentabilidade, vem aumentando anualmente, em virtude da maior demanda por alimentos e da necessidade de reduzir o desmatamento. A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) destaca-se dentre os demais sistemas de produção devido à interação das diferentes modalidades de produção rural, pois promove maior diversidade de produtos e intensificação do uso da terra de maneira sustentável, melhorando a qualidade física, química e biológica do solo, proporcionadas, principalmente, pelo aumento da matéria orgânica do solo (Gouvello, 2010). No Brasil, atualmente a área cultivada com algum tipo de integração corresponde a 6% da área total cultivada no país, sendo que a região centro-oeste possui a segunda maior área cultivada com algum tipo desse sistema e é estimada na safra 2015/16 em 2,5 milhões de hectares o potencial de aumento é de 20% até 2020, sendo o estado de Mato Grosso o principal promotor na região. O crescente aumento das áreas de ILPF se deve as políticas públicas de incentivo à redução nas emissões de GEE (Brasil, 2009, 2010, 2014). Apesar do aumento das áreas com integração, Gil et al. (2016) relatam que o baixo conhecimento técnico dos produtores do estado de Mato Grosso é o principal fator limitante para a expansão da área sob ILPF no estado. A ILPF destaca-se como uma estratégia para maximizar efeitos desejáveis no ambiente, aliando o aumento de produção com a conservação de recursos naturais no processo de intensificação de uso das áreas já desmatadas no Brasil. Por sua vez, as contribuições da ILPF para o aumento/melhoria dos estoques de C e N no solo e melhoraria da qualidade física, química e biológica do solo devem ser melhor avaliadas para se estabelecer qual o arranjo que contribua para maior produtividade e atinja sustentabilidade ambiental. Desta forma, o presente estudo visou avaliar o potencial de acumulo de C e N do solo em sistemas de ILPF.

  • Resumo: Introdução. Principais opções de integração lavoura-pecuária-floresta. Vantagens da lavoura para a pecuária. Vantagens da pecuária (Pastagens) para a lavoura.

  • Resumo: RESUMO: A integração Lavoura-Pecuária (iLP) não é um fato novo, porém foi nas últimas décadas que ocorreu a consolidação de importantes sistemas de produção. Alguns destes serviram de modelo para produtores, por causa das vantagens advindas, principalmente a diversificação da produção e a rotação lavoura/pastagem. Os sistemas que se destacaram podem ser caracterizados em: pastagens anuais em sucessão às culturas de verão, rotação de pastagem em áreas de lavoura, rotação de culturas anuais em áreas de pastagens, iLP com rotação parcial de lavoura-pastagem perene e iLP na agricultura familiar. Além destes há os sistemas de produção integrada que não envolve a rotação pastagem-lavoura. Para a implantação e condução destes sistemas são necessários investimentos em estrutura, em pessoal e em conhecimento. Como principais vantagens para o ambiente podem ser citadas as melhorias ao solo e ao uso da água. A intensificação da produção permite aumento em produtividade e rentabilidade e, com a diversificação, maior estabilidade de renda aos produtores. Crop-Livestock-Forest Integration System. 1. Structuring Crop-Livestock Integration Systems.

    ABSTRACT: Integrated crop-livestock is not a new idea; however, important production systems have only been consolidated in the last decades. Some of them were considered models for farmers due to many advantages from diversifying crop production and rotation. Systems can be characterized as: annual pastures in succession to summer crops; pasture rotation in crop areas; annual crop rotation in pasture areas; integrated crop-livestock (ICL) with partial annual cropperennial pasture rotation; and ICL in family farming. Additionally, there are integrated systems that do not include crop-pasture rotation. Investments in structure, personal and knowledge are essential to establishing and conducting such systems. Soil and water enhancement are the main benefits to the environment brought by integrated systems. Intensifying production leads to yield and profit increase; besides, crop diversification stabilizes income for farmers.

  • Resumo: Objetivo do manual URT iLPF. Definição de Unidade de Referência Tecnológica (URT). Procedimentos para a implementação de URT iLPF. Diagnóstico. Procedimento. Instalação. Condução e avaliação das URTs. Demonstração e transferência de tecnologia. Modelo de projeto para URT iLPF. Modelos de contrato de parceria e teste. Modelo de cronograma físico para a implementação de URT iLPF.

  • Resumo: A utilização de sistemas integrados de produção se apresenta como uma das opções para garantir melhorias na produção de grãos, carne e madeira com sustentabilidade e conservação desses recursos. Os sistemas integrados podem ter diferentes configurações produtivas no campo, sendo que nos últimos anos tem se adotado cada vez mais a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF). Atualmente, consolidar que os sistemas integrados de produção serão atividades consideradas mitigadoras é fundamental, a fim de aprimorar o uso do solo e alcançar alta produtividade na agricultura. Contribuindo diretamente na desaceleração do desmatamento de novas áreas, principalmente sobre a região dos biomas Cerrado e Amazônia, definidas por serem áreas-chaves, por conterem uma biodiversidade endêmica e elevado grau de degradação ambiental. Portanto, é primordial monitorar por longo prazo os sistemas integrados de produção a fim de entender melhor aspectos de microbiologia de solos como: interação microrganismos vs sistemas de produção; interação microrganismos vs microrganismos; e interação microrganismos vs plantas cultivadas nos sistemas. Visto que os microrganismos são parte integrante da funcionalidade dos ecossistemas. Nesse contexto, o presente capitulo objetiva apresentar algumas informações sobre efeito de sistemas exclusivos e integrados de produção em: biodiversidade e estrutura de comunidades bacterianas do solo; prospecção de microrganismos antagônicos a fitopatógenos; prospecção de microrganismos solubilizadores de fosfato; e correlações de diversidade bacteriana de solo com a emissão de gases de efeito estufa.

  • Resumo: Os sistemas integrados de produção têm como premissa básica combinar na mesma área produtiva duas ou mais atividades agrícolas, ou seja, agricultura, pecuária e/ou silvicultura. Apesar de constituir uma estratégia interessante de uso da terra, ainda faltam informações acerca dos efeitos que estes sistemas provocam nas condições microclimáticas, principalmente quando há o componente florestal. Por isso, o monitoramento destas informações em modelos físicos de longa duração é importante para permitir extrair conclusões relacionadas a ocorrência de interações benéficas ou prejudiciais e quanto a sustentabilidade dos sistemas integrados. A radiação solar no interior da comunidade vegetal é o primeiro elemento meteorológico a ser modificado com a introdução das árvores no sistema (Brenner, 1996), as quais alteram o balanço de energia e o comportamento dos ventos, influenciando no uso de água pelas plantas e na produção destas, e protegem os animais do calor e frio intensos. Na medida em que ocorrem alterações no microclima, como atenuação da radiação solar incidente e diminuição da temperatura, os cultivos consorciados com espécies florestais parecem promover menores perdas de água pela transpiração excessiva, melhorando a economia hídrica. Assim, objetivou-se com esse trabalho monitorar as condições microclimáticas no experimento ILPF Corte da Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop, MT.

  • Resumo: Os sistemas integrados de produção têm como premissa básica combinar na mesma área produtiva duas ou mais atividades agrícolas, ou seja, agricultura, pecuária e/ou silvicultura. Apesar de constituir uma estratégia interessante de uso da terra, ainda faltam informações acerca dos efeitos que estes sistemas provocam nas condições microclimáticas. Por isso, o monitoramento destas informações em modelos físicos de longa duração gerará subsídios para concluir sobre as interações benéficas ou prejudiciais e a sustentabilidade dos sistemas integrados. A radiação solar no interior da comunidade vegetal é o primeiro elemento meteorológico a ser modificado com a introdução das árvores no sistema (Brenner, 1996), pois as mesmas alteram o balanço de energia e o comportamento dos ventos, influenciando no uso de água pelas plantas e na produção destas, e ainda protegem os animais de calor e frio intensos. Na medida em que ocorrem alterações no microclima, como atenuação da radiação solar incidente e diminuição da temperatura, os cultivos consorciados com espécies florestais tendem a ter menores perdas de água pela transpiração excessiva, aumentando a eficiência hídrica. Assim, objetivou-se com esse trabalho monitorar as condições microclimáticas no experimento ILPF Leite da Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop, MT.

  • Resumo: No sistema ILPF (integração lavoura-pecuária-floresta), há um grande número de espécies vegetais conduzidas ao mesmo tempo e a permanência de componentes no sistema podem servir como habitat ou hospedeiros para pragas e doenças (Oliveira et al., 2005), porém ainda faltam estudos sobre as doenças que possam se desenvolver nesse sistema. A maior preocupação no manejo de doenças no sistema ILPF, é a ocorrência de patógenos como Sclerotinia sclerotiorum, Fusarium sp. e Rhizoctonia sp., que por possuírem vários hospedeiros poderiam se disseminar no sistema. A introdução dos mesmos pode ocorrer via sementes e mudas contaminadas e a sobrevivência se dá através de estruturas de resistência. Com base nessa preocupação, durante o período de execução do projeto, houve o monitoramento de dos patógenos presentes nos grãos de soja.

Página 1 de 2

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva