soja

  • O cultivo integrado da soja com pastagens é uma das principais formas para diversificar os sistemas de produção de grãos no Brasil. O objetivo dessa pesquisa foi avaliar o efeito de intensidades de pastejo em U. ruziziensis, de épocas de dessecação desta em relação à semeadura da soja e da adubação da cultura com nitrogênio mineral sobre o crescimento e o desempenho produtivo da cultivar de soja NK 7059 RR. Foram testadas três alturas de manejo da pastagem de U. ruziziensis (15, 35 e 50 cm), pastejada de forma contínua por seis meses, além de um piquete sem pastejo, constituindo quatro experimentos distintos. Em cada experimento foi utilizado o delineamento de blocos completos casualizados, com três repetições, em esquema de parcelas subdivididas. Nas parcelas foram alocadas quatro épocas de dessecação da pastagem (35, 28, 20 e 8 dias antes da semeadura da soja) e, nas subparcelas, a adubação nitrogenada na soja (sem N ou com 30 kg de N ha-1 na semeadura). Após a análise estatística de cada experimento, realizou-se análise conjunta. As intensidades de pastejo não afetaram significativamente o crescimento e o desempenho da soja cultivada em sucessão. O aumento do intervalo entre a dessecação e a semeadura da soja e a adubação nitrogenada na cultura incrementaram o crescimento e o acúmulo de N no início do ciclo de desenvolvimento da cultura, mas essas diferenças foram inexpressivas no período reprodutivo, não afetando a produtividade de grãos.

  • Resumo: RESUMO: A integração lavoura-pecuária por meio da sucessão entre pastagem de braquiária no outono/inverno e culturas de grãos no verão constitui-se em uma opção para aumentar e diversificar a renda do produtor e melhorar a qualidade do sistema plantio direto. Com o objetivo de avaliar o efeito da época de dessecação da pastagem ou da pressão de pastejo por bovinos sobre atributos físicos do solo e a produtividade da soja em um sistema de integração lavourapecuária (SILP), foi conduzido um experimento sobre um Latossolo Vermelho Distroférrico. Nas parcelas principais, foram aplicadas pressões de pastejo equivalentes a 6,9; 9,4; e 16,5 unidades animais por hectare durante 19 dias em pastagem de Brachiaria brizantha cv. Xaraes, cuja fitomassa foi dessecada 30 dias antes da semeadura da soja (DAS). Também foram conduzidos tratamentos sem pastejo, nos quais a fitomassa foi dessecada aos 30, 44 e 52DAS. Foi determinada a fitomassa remanescente da pastagem, densidade, porosidade e resistência à penetração do solo e a produtividade das cultivares de soja BRS 294RR e BRS 255RR, semeadas em subparcelas. As alterações nos atributos físicos do solo pelo pisoteio se concentraram na camada de 0,0-0,05m, contudo as maiores pressões de pastejo aumentaram o grau de compactação do solo até a camada de 0,2-0,3m. A produtividade da cultivar ?BRS 294RR? aumentou e a da cultivar ?BRS 255RR? não foi afetada pelo incremento da pressão de pastejo, demostrando que há diferença de resposta entre os genótipos ao grau de compactação do solo e, principalmente, à fitomassa remanescente da pastagem. A produtividade da soja em SILP com alta produção de matéria seca de B. brizantha é afetada pelo intervalo entre a dessecação da pastagem e a semeadura da cultura. ABSTRACT: Soil physical attributes and soybean production in a crop-livestock integration system with Brachiaria sp and Glycine max Crop livestock integration systems (CLIS) involving pastures of Brachiaria brizantha in autumn/winter and soybeans in summer have been considered an option to increase and diversify crop production and improve no-tillage system. This work aimed to evaluate the effect of grass desiccation timings or cattle grazing pressures on soil physical attributes and soybean yields in a crop-livestock integration system. The experiment was carried out on a dark red Latosol (Rhodic Eutrudox, US Soil Taxonomy) in southern Brazil. In the major plots, grazing pressures of 6.9, 9.4, and 16.5 animal unities per hectare were applied during 19 days to a pasture of Brachiaria brizantha cv. Xaraes, which phytomass was desiccated 30 days before soybean sowing (DBS). Ungrazed plots were desiccated 30, 44 and 52 DBS. Remaining phytomass of the pasture; soil bulk density, porosity and soil resistance to penetration; and yield of soybean cultivars BRS 294RR and BRS 255RR (sowed in subplots), were determined. Changes in soil physical attributes by animal trampling were concentrated on topsoil layer (0.0 - 0.05m), and soil compaction level was increased by the highest grazing pressure down the 0.2-0.3 layer. The yield of soybean cv. BRS 294RR was increased with rising grazing pressures, whereas the yield of soybean cv. BRS 255RR was not affected, showing that soybean genotypes had different responses to soil compaction level and, mainly, to remaining phytomass of pasture. In CLIS with high production of B. brizantha dry mass, soybean yields are closely associated to time interval between grass desiccation and soybean planting.

  • Resumo: Camadas compactadas de solo tornam a soja mais vulnerável a decréscimos de produtividade sob condições de seca. Visando avaliar o efeito de forrageiras tropicais sobre a qualidade física do solo, determinou-se a resistência do solo à penetração (RP), em um sistema de integração lavoura-pecuária (ILP) manejado sob plantio direto e conduzido, desde o verão de 2007, como unidade de validação de tecnologia em uma propriedade rural localizada em Querência, região nordeste do Mato Grosso, sobre um Latossolo Vermelho-Amarelo (300 g kg-1 de argila). Em dezembro de 2008, avaliaram-se três das cinco fases que compõem o sistema testado: pastagem de Brachiaria brizantha de 1o ano, pastagem de B. brizantha de 2o ano e soja (onze cultivos sucessivos). Os resultados evidenciaram uma maior RP (0,1-0,4 m) para a área com onze cultivos sucessivos de soja comparativamente às áreas sob pastagem. Os valores de RP na área de soja foram superiores ao considerado limitante ao desenvolvimento dessa cultura (3,5 MPa), o que não se repetiu nas áreas sob pastagem de B. brizantha. A perda de vigor da pastagem, associada ao efeito cumulativo do pisoteio animal, resultaram em maiores valores de RP na camada de 0,1-0,2 m para a pastagem de 2o ano, em relação à de 1o ano. Conclui-se que o uso de forrageiras tropicais em sistemas de ILP melhora a qualidade física do solo, proporcionando, em um ano, a eliminação de camadas compactadas produzidas pelo uso contínuo do solo com soja.

  • Resumo: No sistema ILPF (integração lavoura-pecuária-floresta), há um grande número de espécies vegetais conduzidas ao mesmo tempo e a permanência de componentes no sistema podem servir como habitat ou hospedeiros para pragas e doenças (Oliveira et al., 2005), porém ainda faltam estudos sobre as doenças que possam se desenvolver nesse sistema. A maior preocupação no manejo de doenças no sistema ILPF, é a ocorrência de patógenos como Sclerotinia sclerotiorum, Fusarium sp. e Rhizoctonia sp., que por possuírem vários hospedeiros poderiam se disseminar no sistema. A introdução dos mesmos pode ocorrer via sementes e mudas contaminadas e a sobrevivência se dá através de estruturas de resistência. Com base nessa preocupação, durante o período de execução do projeto, houve o monitoramento de dos patógenos presentes nos grãos de soja.

  • Resumo: Este trabalho teve o objetivo de avaliar a produção e os custos de produção de soja, no sistema Integração Lavoura- Pecuária-Floresta (ILPF), para a região de cerrado de Rondônia, especificamente para o município de Vilhena. Foi utilizada a cultivar de soja BRS Valiosa RR, semeada no Campo Experimental da Embrapa Rondônia, em Vilhena, na safra 2009/10. A produtividade obtida foi de 3.696 kg.ha-1, superior à média estadual, e as estimativas dos custos de produção foram de R$527,59 para o custo fixo, de R$902,76 para o custo variável e de R$1.430,35 para o custo total. A produtividade para cobrir os custos de produção de soja, no cerrado rondoniense, neste sistema foi de 1.092 kg.ha-1 para o custo fixo, de 1.868 kg.ha-1 para o custo variável e de 2.960 kg.ha-1 para o custo total. Como o ponto de equilíbrio (2.960 kg.ha-1) foi menor que a produtividade obtida, a produção de soja remunerou todos os fatores de produção e apresentou lucro.

  • Resumo: Na ILPF pouco se sabe sobre os efeitos da sombra das árvores na fisiologia da cultura da soja, devido à alta complexidade do sistema. Balbino et al., (2011), relatam que a integração de árvores e cultivos agrícolas pode resultar na utilização mais eficiente de água, nutrientes e radiação solar por sua vez, Viana et al., (2012) mencionam que, à medida que as árvores crescem, ocorre redução na radiação no sub-bosque. Desta forma, avaliações de variáveis fisiológicas, são imprescindíveis para determinar a influência do ambiente sobre a planta, pois a atividade fotossintética é afetada pela intensidade de radiação luminosa, temperatura, concentração de CO2 e umidade do solo (Marenco; Lopes, 2005). Além disso, as variáveis como condutância estomática e taxa de transpiração são responsáveis pelo controle estomático e perda de agua pela planta, que são fundamentais para assimilação do CO2 disponível na atmosfera afetando o crescimento e a produção da planta. As clorofilas são responsáveis pela captura da luz usada na fotossíntese e essenciais na conversão da radiação luminosa em energia química (Jesus; Marenco, 2008). Outro fator que influi no crescimento da cultura é o índice de área foliar (IAF), utilizado para avaliar respostas das plantas a diferentes condições de ambiente. Haja vista a importância dos impactos promovidos pelo sombreamento nos processos fisiológicos da soja, provocado pelo componente florestal e a escassez de estudos em sistemas de ILPF, o estudo objetivou avaliar as características fisiológicas da cultura da soja em sistemas de cultivo exclusivo e de ILPF e sua produtividade, após quatro anos de implantação do sistema.

  • Resumo: Este trabalho apresenta resultados parciais de sistema iLPF ? Integração Lavoura-Pecuária-Floresta instalado no Campo Experimental da Embrapa Rondônia, em Vilhena/RO. O objetivo foi avaliar a produtividade e os custos de produção de soja nesse sistema para a região de cerrado de Rondônia, especificamente para o município de Vilhena/RO. A cultivar de soja BRS Valiosa RR foi semeada em outubro de 2010 e a colheita dos grãos foi realizada em fevereiro de 2011, obtendo-se a produtividade de 3.218 kg.ha-1. Os custos de produção estimados foram de R$ 637,29 para o custo fixo, R$ 1.055,64 para o custo variável e de R$ 1.692,94 para o custo total. A produtividade obtida foi suficiente para cobrir todos os custos de produção.

  • Resumo: O conhecimento do comportamento dos componentes dos sistemas ILPF em seus diversos arranjos é fundamental e para a adoção destes sistemas. Os sistemas ILPF são sistemas complexos, especialmente quando está presente o componente florestal, que são, segundo Balbino et al. (2011), os mais complexos e que demandam maior conhecimento técnico. O conhecimento de como as culturas da soja e do milho se desenvolvem nestes sistemas e fundamental para adoção de técnicas que irão proporcionar maior eficiência assim como no planejamento e na decisão do manejo de sistemas integrados. Melhores entendimentos das exigências climáticas destas culturas e das relações de incidência solar, sombreamento e água no sistema solo-planta-atmosfera contribuirão para minimizar os riscos de insucesso da produção agrícola. O conhecimento sobre a distribuição da radiação solar no entre renque ou sub-bosque em sistemas agrossilvipastoris adquire grande importância como base para planejar mais adequadamente o manejo dos componentes do sistema, tanto agrícolas, como florestais, como pastagem (Oliveira, 2005). A continuidade de avaliações ao longo do ciclo de crescimento das árvores são necessárias para determinar a magnitude espacial e temporal de seus efeitos sobre as lavouras de grãos e plantas forrageiras e para gerar subsídios técnicos para a otimização da combinação dos diferentes componentes da ILPF aliadas à avaliação econômica do sistema. Portanto, objetivou-se com esse trabalho avaliar o comportamento das culturas da soja e milho em diferentes sistemas de produção exclusivos e integrados ILPF no Norte de Mato Grosso.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva