solo

  • Resumo: A estrutura é um dos atributos mais importantes do solo sob o ponto de vista agrícola, tendo participação fundamental nas relações solo-planta. O objetivo deste trabalho foi avaliar alguns atributos físicos de um Latossolo Amarelo textura argilosa em sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF), instalado no ano de 2010 com cultivo de Castanha do Pará (Bertholletia excelsa) consorciada com culturas agrícolas e comparado com uma área de capoeira secundária, onde as seguintes variáveis foram analisadas: granulometria, densidade do solo, microporosidade, macroporosidade e porosidade total. O alto teor de argila caracterizou este solo na classe de textura argilosa. A densidade do solo variou significativamente entre os componentes do sistema em estudo. A capoeira apresentou maior porosidade total em relação aos demais sistemas na camada superficial. A macroporosidade e a microporosidade apresentaram diferença em todos os tratamentos. A densidade do solo, a porosidade total, e a macroporosidade e microporosidade, em todos os sistemas indicaram valores dentro do nível considerado não restritivo ao crescimento e desenvolvimento do sistema radicular das plantas. O sistema de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta não influenciou negativamente nos atributos físicos avaliados neste sistema, aos três anos de idade

  • Resumo: O trabalho tem como objetivo avaliar o solo e o crescimento da espécie paricá (Schizolobium amazonicum) no sistema Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) e no sistema homogêneo para recuperação de áreas de pastagens degradadas. Utilizou-se milho (BRS 1030) como cultivo de grãos, para forragem usou-se a Brachiaria ruziziensis e a espécie florestal utilizada foi o paricá. O crescimento do paricá em altura foi mensurado até o quinto ano de cultivo, a circunferência à altura do peito (CAP) foi mensurado a partir do segundo ano da instalação do sistema iLPF. Na avaliação dos cincos anos as árvores de paricá no iLPF apresentaram menores valores de altura de planta e maiores valores de CAP quando comparadas com o sistema homogênio. O excesso de chuva nos meses de fevereiro a maio de 2009 causaram prejuízos na produtividade e na qualidade dos grãos de milho. Apesar disto, o milho apresentou bons resultados no consórcio com forragem intercalado com paricá. Houve recuperação e manutenção da capacidade produtiva do solo, redução de carbono, matéria orgânica, teor de fósforo, saturação por bases e aumento no teor de alumínio com o aumento da profundidade do solo. Essas peculiaridades do iLPF implicam em diferentes estratégias de manejo da fertilidade do solo.

  • Resumo: This research aimed to determine the levels of MBC and MBN of the soil microbial biomass in six agricultural management systems.

  • Resumo: A estrutura é um dos atributos mais importantes do solo sob o ponto de vista agrícola, tendo participação substancial nas relações solo-planta. O objetivo do trabalho foi avaliar os atributos físicos de um latossolo amarelo em um sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta. Utilizou-se um sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) instalado no ano de 2010 com cultivo de Mogno africano (Khaya ivorensis) em consórcio com culturas agrícolas e uma Capoeira. Em que foi analisado as propriedades granulométricas, densidade do solo, microporos, macroporos e porosidade total. O elevado teor de argila caracterizou um solo de textura argilosa. A densidade do solo variou significativamente entre os componentes do sistema em estudo. A Capoeira mostrou maior Volume Total de Poros em relação aos outros sistemas na profundidade 0-10 cm. A macroporosidade e microporosidade apresentaram diferença somente na profundidade 0-10 cm da Capoeira. A densidade do solo, volume total de poros, macroporosidade e microporosidade de todos os sistemas estudados apresentaram valores dentro da faixa considerada não restritiva ao crescimento e desenvolvimento do sistema radicular das plantas. E o sistema iLPF não apresentou danos na estrutura do solo aos três anos de implantação

  • Resumo: Até o final do século passado, a agricultura cresceu e se desenvolveu baseada na expansão de novas áreas para o cultivo, levando a perda de grandes áreas de florestas nativas e ecossistemas naturais (Alexandratos; Bruinsma, 2003), acarretando na perda de serviços ambientais. De acordo com Lal (2006), aproximadamente metade de todo o COS em áreas manejadas foi perdido nos últimos 200 anos, sendo esta uma das principais causas da degradação e consequente declínio da fertilidade dos solos. Segundo Lal (2004), cerca de 3,3 Pg ano-1 de carbono é emitido para a atmosfera devido ao preparo do solo em lavouras destinadas à produção de alimentos. A adoção de sistemas de manejo sustentáveis, como a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), surge como uma alternativa aos sistemas agrícolas convencionais não sustentáveis. Esses sistemas contam com grande potencial de promover melhorias na qualidade do solo, principalmente no que diz respeito ao aumento dos estoques de carbono, em curto e médio prazos (Bayer; Mielniczuk, 1997; Lovato et al., 2004; Bayer et al., 2006; Nicoloso, 2008; Batlle-Bayer et al., 2010; Piva, 2012; Sacramento et al., 2013; Gazolla et al., 2015;). A matéria orgânica do solo (MOS) desempenha um papel crucial na manutenção da atividade agrícola. O acúmulo da MOS promove melhorias nas propriedades físicas, biológicas e químicas do solo, possibilitando aumento na produtividade e redução de gastos com irrigação, fertilizantes, condicionadores de solo e outros insumos agrícolas. Entender como a MOS se comporta em diferentes tipos de manejo é essencial para o direcionamento de políticas públicas que visem a disseminação de práticas agrícolas que aumentem os estoques de COS e reduzam as emissões de GEE. O estoque e balanço de carbono em áreas de agricultura, principalmente em sistemas de ILPF são pouco estudados e entendidos. Sendo assim, o objetivo do trabalho cujos resultados estão apresentados neste capítulo, foi avaliar as alterações nos compartimentos da matéria orgânica do solo decorrentes da implementação de diferentes tipos de manejo (Eucalipto, Lavoura, Pecuária e ILPF), sobre o potencial de acúmulo de carbono de cada um desses tipos de manejos.

  • Resumo: A utilização de sistemas integrados de produção se apresenta como uma das opções para garantir melhorias na produção de grãos, carne e madeira com sustentabilidade e conservação desses recursos. Os sistemas integrados podem ter diferentes configurações produtivas no campo, sendo que nos últimos anos tem se adotado cada vez mais a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF). Atualmente, consolidar que os sistemas integrados de produção serão atividades consideradas mitigadoras é fundamental, a fim de aprimorar o uso do solo e alcançar alta produtividade na agricultura. Contribuindo diretamente na desaceleração do desmatamento de novas áreas, principalmente sobre a região dos biomas Cerrado e Amazônia, definidas por serem áreas-chaves, por conterem uma biodiversidade endêmica e elevado grau de degradação ambiental. Portanto, é primordial monitorar por longo prazo os sistemas integrados de produção a fim de entender melhor aspectos de microbiologia de solos como: interação microrganismos vs sistemas de produção; interação microrganismos vs microrganismos; e interação microrganismos vs plantas cultivadas nos sistemas. Visto que os microrganismos são parte integrante da funcionalidade dos ecossistemas. Nesse contexto, o presente capitulo objetiva apresentar algumas informações sobre efeito de sistemas exclusivos e integrados de produção em: biodiversidade e estrutura de comunidades bacterianas do solo; prospecção de microrganismos antagônicos a fitopatógenos; prospecção de microrganismos solubilizadores de fosfato; e correlações de diversidade bacteriana de solo com a emissão de gases de efeito estufa.

  • Resumo: Diferentes espécies de fungos habitantes do solo, incluindo Fusarium, Rhizoctonia, Sclerotium, Macrophomina e Pythium infectam culturas de importância econômica e causam consideráveis perdas. Na área experimental da Embrapa Agrossilvipastoril, foram retiradas amostras durante a estação chuvosa do ano, na safra 2015/16, para caracterização da população de fungos fitoparasitas habitantes do solo, nos diferentes sistemas de integração lavoura pecuária floresta (iLPF). Com o intuito de verificar a patogenicidade de isolados de Fusarium spp obtidos, conduziu-se o teste de patogenicidade em soja. Vasos contendo uma mistura autoclavada de solo e areia (1:3), foram semeados com a variedade TMG 132. Após 10 dias da semeadura, efetuou-se o desbaste, deixando-se duas plantas por vaso para a inoculação. Seis isolados de Fusarium spp (40P1; 02B, 20P1, 08P5, 35B e 10B) foram selecionados aleatoriamente para o teste. A inoculação do fungo foi realizada pela técnica do palito de dente. Os palitos foram esterilizados e colocados sobre placas de Petri contendo B.D.A, onde os isolados foram semeados. Aos 7 dias após a incubação, o micélio colonizou os palitos. 15 dias após a semeadura procedeu-se a inoculação, introduzindo o palito colonizado no coleto da planta. A testemunha recebeu palitos de dente não inoculados. Após inoculação as plantas foram deixadas em câmara úmida por 48 hs. Em seguida foram mantidas em sala climatizada com temperatura de 25oC e com irrigação manual. Após 21 dias da inoculação procedeu-se a avaliação, através de observação dos sintomas. A avaliação foi qualitativa, constatando-se ou não a ocorrência de murcha. Dos seis isolados testados (40P1; 02B, 20P1, 08P5, 35B e 10B), três (02B, 20P1 e 08P5), foram patogênicos às plantas de soja. A próxima etapa da pesquisa é a identificação, através de técnicas moleculares, das espécies dos isolados de Fusarium spp. utilizados nesse trabalho.

  • Resumo: Em pastagens constituídas por forrageiras tropicais perenes, o impacto das pressões de pastejo sobre o grau de compactação do solo tem sido pouco estudado. Com o objetivo de avaliar o efeito da pressão de pastejo sobre a resistência a penetração (RP), determinada por dois métodos, em um sistema de iLP, implantou-se um experimento sobre um Latossolo Vermelho distroférrico. As pressões de pastejo equivaleram a 6,88; 9,38; e 16,47 unidades animais por hectare, aplicadas numa pastagem de Brachiaria brizantha durante 19 dias. Esses tratamentos foram comparados a uma testemunha sem pastejo. Amostras indeformadas de solo, coletadas nas camadas de 0,0-0,05; 0,05-0,1; 0,1-0,2; e 0,2-0,3 m e equilibradas a uma tensão de 100 kPa, foram utilizadas para a determinação da RP em laboratório, por meio de um penetrômetro estático de bancada. Nessas mesmas profundidades, determinou-se a RP a campo, mediante o uso de um penetrômetro de impacto modelo IAA/Planalsucar- Stolf. Independentemente da pressão de pastejo, o pisoteio bovino aumentou a RP na camada de 0,0- 0,1 m. Na maior pressão de pastejo (16,47 UA ha-1), o pisoteio aumentou a RP a maiores profundidades (0,1-0,2 m). A magnitude dos valores de RP, assim como a resposta dos mesmos às pressões de pastejo, variaram em função do penetrômetro utilizado (dinâmico ou estático de bancada).

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva