transferência de tecnologia

  • Resumo: Autores: Alberto Carlos de Campos Bernardi; Jasiel Nunes Sousa; Paulo Roberto Galerani; Alberto Feiden; João Batista Beltrão Marques (CPPSUL); Pedro Assis Gomide; Aloisio Alcântara Vilarinho; João Kluthcouski; Priscila de Oliveira; Amaury Burlamaqui Bendahan; José Adérito Rodrigues Filho; Raul Osário Rosinha; Ana Elisa Alvim Dias Montagner; José Alexandre Agiova da Costa; Renato Serena Fontaneli; Antonio Claudio da Silva Barros; José Heitor Vasconcellos; Roberto Giolo de Almeida; Armindo Neivo Kiechel; Julio Cezar Franchini dos Santos; Roberto Dantas de Medeiros; Arnildo Pott; Júlio Cesar Salton; Roberto Serena Fontaneli; Arystides Resende Silva; Leonardo Mariano Gravina Fonseca; Rodrigo Luis Brogin; Austrelino Silveira Filho; Limirio de Almeida Carvalho; Rogério Perin; Carlos Alberto Costa Veloso; Lineu Alberto Domit; Salete Alves de Moraes; Carlos Eugênio Martins; Luis Wagner Rodrigues Alves; Samuel José de Magalhães Oliveira; Célia Maria Braga Calandrini de Azevedo; Luiz Adriano Maia Cordeiro; Sandra Aparecida Santos; Cláudio Ramalho Townsend; Luiz Carlos Balbino; Siglea Sanna de Freitas Chaves; Daniel Nascimento Medeiros; Márcia Toffani Simão Soares; Sílvio Túlio Spera; Eduardo Jorge Maklouf Carvalho; Marcos Cicarini Hott; Suzana Maria de Salis; Gilvan Ferreira Barbosa; Marcos Lopes La Falce; Tadário Kamel de Oliveira; Gladys Beatriz Martínez; Marina Torres Pessoa; Thiago Bellotti Furtado; Gustavo Martínez Pimentel; Marley Marico Utumi; Urbano Gomes Pinto de Abreu; Henrique Pereira Dos Santos; Moacyr Bernardino Dias?Filho; Vanderlei Porfírio da Silva; Inês Maria Rodrigues; Naylor Bastiani Perez (CPPSUL); Vicente de Paulo Campos Godinho; Jamir Luis Silva Da Silva; Paulo Campos Christo Fernandes; Victor Muiños Barroso Lima.

  • Resumo: Abstract: Agroforestry systems for animal husbandry, including integrated crop-livestock-forest systems (ICLF) are rather diversified in the five Brazilian regions. They present several technical, environmental and socioeconomic benefits. However they are not broadly adopted, mainly because of their higher complexity compared with traditional systems as well as a certain lack of understanding by farmers regarding their benefits. To change this situation, in the last five years, the Brazilian government has directed financial resources for credit as well as for research and technology transfer addressing ICLF systems, including good agricultural practices and mitigation of greenhouse gases emissions. The goal is to improve competitiveness of the Brazilian agribusiness sector.

  • Resumo: Introdução. Caracterização do meio físico e do sistema produtivo atual no Vale do Rio Xingu. Concepção, adaptação e desenvolvimento da unidade de referência em integração lavoura-pecuária. Resultados. Alterações na fertilidade do solo na URT após um ano de ILP. Evolução da qualidade física na URT após um ano de ILP. Alterações na fertilidade do solo na URT após dois anos de ILP. Exemplos de adoção das tecnologias vinculadas a ILP na região do Vale do Rio Xingu. Considerações finais.

  • Resumo: Até o final do século passado, a agricultura cresceu e se desenvolveu baseada na expansão de novas áreas para o cultivo, levando a perda de grandes áreas de florestas nativas e ecossistemas naturais (Alexandratos e Bruinsma, 2003), acarretando na perda de serviços ambientais. De acordo com Lal (2006), aproximadamente metade de todo o COS em áreas manejadas foi perdido nos últimos 200 anos, sendo esta uma das principais causas da degradação e consequente declínio da fertilidade dos solos. Segundo Lal (2004), cerca de 3,3 Pg/ ano de carbono é emitido para a atmosfera devido ao preparo do solo para a produção de alimentos. Conforme descrito por Smith e Gregory (2013b) e Foley et al. (2011), ao mesmo tempo que garantir a segurança alimentar, há uma necessidade urgente para diminuir o impacto da produção de alimentos no clima (Smith et al., 2008), e de melhorar a resiliência da produção de alimentos para as mudanças ambientais futuras (Smith et al., 2013a; Smith, 2015). De acordo com as projeções do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC), o setor agrícola será muito afetado com a mudança global do clima com impactos na sua produtividade, manejo e na distribuição espacial das culturas hoje existentes. Sendo assim, é necessário mudar o paradigma da agricultura com uso de práticas de manejo que favoreçam o equilíbrio dos atributos físicos e químicos do solo, como aumento dos teores de C, N, retenção de água, redução da perda de solo por erosão e lixiviação. De acordo com Lal (2006), solos degradados podem ser recuperados utilizando técnicas de manejo que aumentem o estoque de carbono. A adoção de sistemas de manejo mais sustentáveis, como a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), surge como uma alternativa em detrimento aos sistemas agrícolas convencionais, com grande potencial de promover melhorias na qualidade do solo, principalmente no que diz respeito ao aumento dos estoques de carbono, em curto e médio prazos (Lovato et al., 2004; Bayer et al., 2006; Gazolla et al., 2015; Nicoloso, 2008; Batlle-Bayer et al., 2010; Sacramento et al., 2013; Piva, 2012; Bayer e Mielniczuk, 1997; Piva, 2012). O sistema ILPF consiste na implantação de diferentes sistemas produtivos de grãos, fibras, carne, leite, agroenergia e outros, na mesma área, em plantio consorciado, sequencial ou rotacionado, aproveitando as sinergias existentes entre eles (MAPA, 2011). A matéria orgânica do solo (MOS) desempenha um papel crucial para a manutenção da atividade agrícola. O acúmulo da MOS promove melhorias nas propriedades física, biológica e química do solo, possibilitando um aumento na produtividade e redução de gastos com irrigação, fertilizantes, condicionadores de solo e outros insumos agrícolas. Entender como a MOS se comporta em diferentes tipos de manejo é essencial para o direcionamento de políticas públicas, que visem a disseminação de práticas agrícolas que aumentem os estoques de COS e reduzam as emissões de GEE. O estoque e balanço de carbono em áreas de agricultura, principalmente em sistemas de ILPF são pouco estudados e entendidos. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é avaliar as alterações nos compartimentos da matéria orgânica do solo decorrentes da implementação de diferentes tipos de manejo (Eucalipto, Lavoura, Pecuária e ILPF) em área de Cerrado, visando o potencial de acúmulo de carbono de cada um desses tipos de manejos.

  • Resumo: A falta de resultados consistentes que indicam a viabilidade econômica dos sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta é um dos principais desafios que a pesquisa precisa enfrentar tendo em conta os objetivos e metas estabelecidos pelo Governo Federal para aumento da área desses sistemas no Brasil. A Embrapa Agrossilvipastoril, por meio de uma parceria com o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária e o Senar, MT, implementou no ano de 2014 o projeto Estabelecimento e Condução de Unidades de Referência Tecnológica e Econômica ?Projeto URTE, com o objetivo de estabelecer uma metodologia para avaliação econômica de sistemas de integração e, assim, proporcionar resultados consistentes que contribuirão para a ampliação da adoção desses sistemas. No presente trabalho, apresentaremos alguns resultados de três das propriedades acompanhadas nesse projeto: Fazenda Isabina, Fazenda Brasil e Fazenda Gamada.

  • Resumo: A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), sistema sustentável de uso do solo e definido como sendo um conjunto de tecnologias estratégicas que integra sistemas de produção agrícola, pecuário e florestal, em dimensão espacial e/ou temporal, buscando efeitos sinérgicos entre os componentes do agroecossistema para a sustentabilidade da unidade de produção, contemplando sua adequação ambiental e a valorização do capital natural (Balbino et al., 2011), tem sido adotado em todo o Brasil, com maior representatividade nas regiões Centro-Oeste e Sul. Atualmente, aproximadamente 11,5 milhões de hectares utilizam as diferentes estratégias de ILPF e a estimativa é de que, para os próximos 10 anos, possa ser adotada em mais de 20 milhões de hectares (Ilpf..., 2016). Os bons números da adoção da tecnologia ILPF levantados no ano agrícola 2015-2016 refletem, em certo grau, o árduo trabalho da transferência de tecnologias (T&T) iniciados no ano agrícola 2004-2005 pela Embrapa e diversos parceiros, públicos e privados, no Estado do Mato Grosso. A partir de 2009, com a implantação da Embrapa Agrossilvipastoril, a equipe de T&T no tema foi ampliada, novas parcerias foram formadas e o trabalho de T&T na ILPF foi ainda mais intensificado, atingindo todas as regiões do Mato Grosso. Esse trabalho de difusão e validação das tecnologias ILPF estava contemplado em projetos de transferências de tecnologias contínuos, coerentes e aderentes aos projetos de P, D & I, sempre apoiados na mesma estratégia metodológica.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva