Apresentar as inovações desenvolvidas pela Embrapa e parceiros voltadas aos sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) que possam ser replicadas no bioma Caatinga. Este é o principal objetivo do Seminário Nordeste – Inovações na Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF), evento promovido pela Embrapa e pela Rede Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (Rede ILPF), em parceria com a Federação da Agropecuária do Estado do Ceará (FAEC) e o XXIII PECNORDESTE – será realizado entre os dias 13 a 15 de junho de 2019, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza (CE).

Para tanto, pesquisadores e especialistas sobre o tema apresentarão, ao longo dos dias 13 e 14, os resultados concretos obtidos pelas Unidades de Referência Tecnológica (URTs) de ILPF a um público formado prioritariamente por técnicos, extensionistas, produtores rurais, empresas, associações, ONGs e órgãos governamentais. No dia 15 (sábado) será realizada uma visita técnica à Fazenda Grangeiro, no município de Paracuru (CE), onde os participantes do seminário poderão conhecer uma experiência de Integração Lavoura-Pecuária que une a produção de coco à criação de bovinos leiteiros. Embora a participação no seminário seja gratuita, o acesso à visita é limitado. Informações e inscrições podem ser feitas no site: https://www.sympla.com.br/seminario-integracao-lavoura-pecuaria-floresta__527539

Segundo Renato Rodrigues, presidente do Conselho Gestor da Rede ILPF e pesquisador da Embrapa Solos (RJ), a disseminação da ILPF na Região Nordeste ainda é um pouco tímida, embora haja um potencial muito grande. A Bahia é o estado que mais se vale esse sistema de produção em números absolutos, enquanto o Rio Grande do Norte já utiliza a tecnologia em 10% de sua área produtiva.

Renato Rodrigues afirma haver uma expectativa bastante elevada em relação ao seminário, pois acredita que o ILPF representa uma ferramenta de desenvolvimento para região: "Queremos fazer um trabalho de políticas públicas e de estímulo aos governo federal para que tenhamos uma ampliação do uso dessa tecnologia no Nordeste. Não vamos chegar com nenhuma receita pronta. Cada região vai precisar se adaptar para que o produtor possa extrair os benefícios que a tecnologia pode oferecer, como a adaptação à mudança do clima, o aumento de renda e da qualidade de vida, bem como a possibilidade de fixação do homem no campo a partir da formação de uma mão de obra mais especializada e capacitada", argumenta.

Para William Marchió, diretor executivo da Associação Rede ILPF, a Embrapa dispõe de arranjos produtivos com aptidão para serem empregados no semiárido e na caatinga com excelentes resultados técnicos e econômicos também nestes ambientes mais desafiadores. “A Integração é uma tecnologia de produção sustentável, auxiliando na mitigação da emissão de gases de efeito estufa e na adaptação às mudanças climáticas”, afirma.

Agregação de valor à biodiversidade

Pesquisador da Embrapa Agroindústria Tropical (CE) e coordenador do seminário, João Pratagil afirma que a região pode se beneficiar de dois eixos de ação da ILPF: a agregação de valor a produtos como espécies nativas da Caatinga e óleos essenciais, bem como da utilização dos resultados da avaliação de espécies florestais da Embrapa para o Polo Moveleiro de Marco, município cearense que sedia as principais empresas madeireiras e moveleiras do Estado.

Pratagil ressalta ainda o modelo de transferência de tecnologia empregado. A Associação Rede ILPF é uma parceria público-privada formada pela Embrapa, Cocamar, Bradesco, Syngenta, John Deere, Soesp, Cepits e Premix. "Com o fomento à transferência de tecnologia e ao desenvolvimento tecnológico da ILPF para os biomas brasileiros, essas empresas e cooperativas se beneficiam com o crescimento e o dinamismo da economia: o aumento da produção repercute no aumento da demanda de maquinário, implementos agrícolas, insumos, como os fertilizantes e defensivos, e até mesmo na concessão de crédito aos agricultores e pecuaristas".

PECNORDESTE

A realização do Seminário Nordeste: Inovações na ILPF ocorre em paralelo ao XXIII Seminário Nordestino de Pecuária (XXIII PECNORDESTE), que traz como tema deste ano "Tecnologia e inovação para uma pecuária competitiva". Historicamente, o evento reúne um público de 30.000 visitantes, dentre os quais pecuaristas, agricultores, técnicos, pesquisadores, estudantes e empreendedores das cadeias produtivas do agronegócio e da agropecuária familiar.

 

O que é a ILPF?

A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) é uma estratégia de produção que integra diferentes sistemas produtivos, agrícolas, pecuários e florestais dentro de uma mesma área, podendo ser feita em cultivo consorciado, em sucessão ou em rotação, de forma que haja benefício mútuo para todas as atividades. Essa forma de sistema integrado busca otimizar o uso da terra, elevando os patamares de produtividade, diversificando a produção e gerando produtos de qualidade.

 

Serviço

Seminário Nordeste: Inovações na Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF)

Datas:

13 a 14 de junho de 2019, das 8 horas às 17h30 - Mesas Redondas e Workshop, no Centro de Eventos do Ceará (Av. Washington Soares, 999 - Edson Queiroz, Fortaleza – CE).

15 de junho de 2019, a partir das 7 horas - Visita técnica à Fazenda Grangeiro, em Paracuru (CE).

 

Ricardo Moura (DRT 1681 jpce)

Embrapa Agroindústria Tropical

 

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva