Produtores e técnicos de 18 municípios cearenses participaram do Dia de Campo sobre sistemas integrados como estratégia de segurança alimentar animal no semiárido, promovido pela Embrapa Caprinos e Ovinos no último dia 10 de julho. Durante o evento, os participantes conheceram o trabalho que vem sendo feito pela Unidade e trocaram ideias a respeito dos sistemas desenvolvidos considerando o uso sustentável da caatinga, com vistas ao aumento da produção e intensificação do uso de área.
Na programação foram abordados quatro temas: integração lavoura-pecuária-floresta, uma alternativa de raleamento feito em faixas; diferimento de pastagens, técnica de baixo custo usada para prolongar a oferta de alimento no período seco;  sistema de integração lavoura-pecuária utilizado nos campos experimentais da Unidade; e  cultivo da palma forrageira em sistemas integrados.

Marcia Maria Cavalcante Rocha trabalha com bovinos, mas afirma que vai aplicar na propriedade o que aprendeu durante o evento. “Principalmente sobre integração lavoura-pecuária-floresta em sistema de faixas, como foi apresentado, porque a gente já está iniciando alguma coisa em relação a ILPF mas esse sistema eu não tinha visto ainda. Achei muito interessante”.

O técnico Francisco José, que trabalha com criadores de caprinos e ovinos, diz que o que aprendeu durante o Dia de Campo será útil para a sua região. “São técnicas simples, mas de grande valia para eles e nós vamos fazer essa ponte e levar o que aprendemos aqui para a região”.

Para o coordenador geral de produção animal do Ministério da Agricultura, André Brugnara Soares, o evento foi muito bom. “Acho que a Embrapa Caprinos e Ovinos tem desempenhado um papel importantíssimo em propor sistemas de produção que respeitam as peculiaridades ecológicas do semiárido e trabalham em duas cadeias que merecem ser priorizadas nas ações de pesquisa e fomento.”

A chefe adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Caprinos e Ovinos, Ana Clara Cavalcante, explica que a ideia de eventos como este é levar para as propriedades as tecnologias desenvolvidas pela empresa. “O que fazemos aqui na Embrapa é a ciência que transforma, são ideias que vão para o campo para melhorar o sistema de produção, para tornar a pecuária uma atividade sustentável. Trabalhamos com soluções tecnológicas pensando em diferentes maneiras de fazer uso delas para aumentar a produção aqui no nosso ambiente. É uma oportunidade para trocar informações e para os criadores conhecerem as pessoas que estão por trás do desenvolvimento das tecnologias.”

A escolha do tema foi aprovada pelos participantes do evento, conforme avaliação do engenheiro-agrônomo da Embrapa, Lucas Oliveira, coordenador do Dia de Campo. Ele acredita que as temáticas apresentadas atraíram bastante a atenção dos participantes, com diversas perguntas aos palestrantes, principalmente com relação à implantação e ao uso das tecnologias apresentadas. “Este interesse demonstrado pelo público presente reforça a ideia de que os sistemas integrados estão cada vez mais se tornando uma alternativa viável para a produção animal no semiárido”.

Essa foi a quarta edição do Dia de Campo sobre segurança alimentar promovido pela Embrapa Caprinos e Ovinos e, segundo o chefe adjunto de Transferência de Tecnologia, Cícero Lucena, a empresa pretende continuar realizando anualmente o evento. “Trabalhamos na perspectiva de torna-lo uma referência na Unidade, uma tradição, para uma vez no ano a gente reunir os produtores e discutir um tema de segurança alimentar, que é de inquestionável importância uma vez que tem um grande impacto nos custos dos sistemas de produção”. 

 

Foto: Adriana Brandão

Adriana Brandão (MTB CE01067JP) 
Embrapa Caprinos e Ovinos 

Contatos para a imprensa 
 
Telefone: (88) 3112.7463

 

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva