Publicações

Todos os Downloads
Número de Downloads: 228
Ordenar arquivos por:
Padrão | Nome | Autor | Data | Visitas

Resumo: O Brasil é duramente criticado pelas emissões de gases de efeito estufa (GEE). Tal fato deve-se ao tamanho do rebanho de bovinos, considerado o maior do mundo (ABIEC, 2017) e pela forma de exploração desses animais em sistemas de produção em pastagens, que em sua grande maioria apresenta algum grau de degradação ou baixo potencial de produção, elevando a idade ao abate e, por consequência, as emissões de metano oriundo de fermentação entérica. Sistemas integrados de produção, com pastos bem manejados podem disponibilizar ao animal uma forragem de melhor valor nutricional, alavancando o desempenho animal e reduzindo as emissões de GEE por unidade de produto obtido. Todavia, para que seja verificada essa eficácia no sistema de produção é necessária a mensuração dos gases produzidos pelo metabolismo animal, assim como entender o comportamento das emissões ao longo do dia. Existem diversos métodos para mensurar as emissões de metano entérico em ruminantes. Contudo, o GreenFeed® (C-lock Inc) é o único equipamento disponível no mercado que permite medir as emissões de metano entérico de ruminantes (bovinos de corte, leite, ovinos e caprinos) nos mais diversos sistemas de produção (pasto e confinamento) sem que haja a interferência humana. Além disso, permite verificar as variações nas emissões de metano ao longo do dia e durante longos períodos, com controle sobre a quantidade e tipo de alimento fornecido. Nesse contexto, objetivou-se avaliar e verificar as variações nas emissões de metano entérico de bovinos de corte em sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta.

Resumo: A cultura do sorgo pode representar uma alternativa viável para compor sistemas de produção integrados, especialmente enquanto cultura sucessora da soja em semeaduras tardias no fechamento da safrinha. Objetivou-se avaliar o desempenho agronômico da cultura do sorgo implantada em consórcio com a Braquiária brizantha cultivar Xaraés em sistemas integração lavoura-pecuária-floresta com eucalipto em dois diferentes arranjos espaciais em condição intensa de estresse hídrico. O experimento foi implantado e conduzido na segunda safra em 2017, utilizando o híbrido de sorgo IPA730 1011 consorciado com capim entre renques de eucalipto com 5 anos de idade. Os renques foram compostos por 4 linhas de eucalipto, oriundos de dois clones (GG100 e VM01). As lavouras foram cultivadas em dois espaçamentos entre renques, de 18 e 42 metros. Foram avaliadas o rendimento de grãos, altura de plantas, índice de panícula, massa de mil grãos e massa seca da forragem em diferentes distâncias do componente arbóreo entre os sistemas. Observou-se que as maiores produtividades de grãos ocorreram no espaçamento de 18 metros. Nessa condição a cultura produziu 71,4 % a mais que a média observada no renque de 42 metros. Conclui-se que nas condições de extremo estresse hídrico, o maior adensamento de árvores promove maior rendimento de grãos em sistemas com eucalipto com 5 anos de idade.

Resumo: Verdades e mitos sobre a água na agricultura. O engenheiro agrônomo Luís Henrique Bassoi revela que a agricultura não é vilã da crise hídrica e apresenta dados sobre irrigação e gestão dos recursos hídricos; A intensificação sustentável é uma alternativa viável para que o homem possa continuar a produzir alimentos e a alcançar índices recordes de produtividade, conservando o meio ambiente e reduzindo efeitos de sua ação no planeta. Detalhes podem ser conferidos nesta matéria especial; Capim-elefante abastece caldeiras, gera energia e confirma potencial como matéria-prima de etanol celulósico;Plantas, animais e microrganismos podem ser utilizados como fábricas biológicas para a produção de moléculas de alto valor agregado que atuam de forma positiva em tratamentos contra câncer, Aids e hemofilia, entre outras doenças; Pesquisadores testam nanofibras dos cachos de dendê como reforço para borracha natural; Adriana Brondani, do CIB, comenta pesquisas de opinião recentes sobre avanços da ciência.

Resumo: Objetivos da integração lavoura - pecuária; Tecnologias para a integração lavoura - pacuária; Regiões de clima temperado; Regiões de transição climática e regiões tropicais; Sistema Santa Fé; Sistema barreirão; Sistema mistos; Impactos da integração lavoura - pecuária na produção de bovinos; Vantagens da integração para o sistema agropecuário e para o meio ambiente; Referências.

Resumo: Até o final do século passado, a agricultura cresceu e se desenvolveu baseada na expansão de novas áreas para o cultivo, levando a perda de grandes áreas de florestas nativas e ecossistemas naturais (Alexandratos e Bruinsma, 2003), acarretando na perda de serviços ambientais. De acordo com Lal (2006), aproximadamente metade de todo o COS em áreas manejadas foi perdido nos últimos 200 anos, sendo esta uma das principais causas da degradação e consequente declínio da fertilidade dos solos. Segundo Lal (2004), cerca de 3,3 Pg/ ano de carbono é emitido para a atmosfera devido ao preparo do solo para a produção de alimentos. Conforme descrito por Smith e Gregory (2013b) e Foley et al. (2011), ao mesmo tempo que garantir a segurança alimentar, há uma necessidade urgente para diminuir o impacto da produção de alimentos no clima (Smith et al., 2008), e de melhorar a resiliência da produção de alimentos para as mudanças ambientais futuras (Smith et al., 2013a; Smith, 2015). De acordo com as projeções do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC), o setor agrícola será muito afetado com a mudança global do clima com impactos na sua produtividade, manejo e na distribuição espacial das culturas hoje existentes. Sendo assim, é necessário mudar o paradigma da agricultura com uso de práticas de manejo que favoreçam o equilíbrio dos atributos físicos e químicos do solo, como aumento dos teores de C, N, retenção de água, redução da perda de solo por erosão e lixiviação. De acordo com Lal (2006), solos degradados podem ser recuperados utilizando técnicas de manejo que aumentem o estoque de carbono. A adoção de sistemas de manejo mais sustentáveis, como a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), surge como uma alternativa em detrimento aos sistemas agrícolas convencionais, com grande potencial de promover melhorias na qualidade do solo, principalmente no que diz respeito ao aumento dos estoques de carbono, em curto e médio prazos (Lovato et al., 2004; Bayer et al., 2006; Gazolla et al., 2015; Nicoloso, 2008; Batlle-Bayer et al., 2010; Sacramento et al., 2013; Piva, 2012; Bayer e Mielniczuk, 1997; Piva, 2012). O sistema ILPF consiste na implantação de diferentes sistemas produtivos de grãos, fibras, carne, leite, agroenergia e outros, na mesma área, em plantio consorciado, sequencial ou rotacionado, aproveitando as sinergias existentes entre eles (MAPA, 2011). A matéria orgânica do solo (MOS) desempenha um papel crucial para a manutenção da atividade agrícola. O acúmulo da MOS promove melhorias nas propriedades física, biológica e química do solo, possibilitando um aumento na produtividade e redução de gastos com irrigação, fertilizantes, condicionadores de solo e outros insumos agrícolas. Entender como a MOS se comporta em diferentes tipos de manejo é essencial para o direcionamento de políticas públicas, que visem a disseminação de práticas agrícolas que aumentem os estoques de COS e reduzam as emissões de GEE. O estoque e balanço de carbono em áreas de agricultura, principalmente em sistemas de ILPF são pouco estudados e entendidos. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é avaliar as alterações nos compartimentos da matéria orgânica do solo decorrentes da implementação de diferentes tipos de manejo (Eucalipto, Lavoura, Pecuária e ILPF) em área de Cerrado, visando o potencial de acúmulo de carbono de cada um desses tipos de manejos.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva