Publicações

Todos os Downloads
Número de Downloads: 152
Ordenar arquivos por:
Padrão | Nome | Autor | Data | Visitas

Resumo: Até o final do século passado, a agricultura cresceu e se desenvolveu baseada na expansão de novas áreas para o cultivo, levando a perda de grandes áreas de florestas nativas e ecossistemas naturais (Alexandratos e Bruinsma, 2003), acarretando na perda de serviços ambientais. De acordo com Lal (2006), aproximadamente metade de todo o COS em áreas manejadas foi perdido nos últimos 200 anos, sendo esta uma das principais causas da degradação e consequente declínio da fertilidade dos solos. Segundo Lal (2004), cerca de 3,3 Pg/ ano de carbono é emitido para a atmosfera devido ao preparo do solo para a produção de alimentos. Conforme descrito por Smith e Gregory (2013b) e Foley et al. (2011), ao mesmo tempo que garantir a segurança alimentar, há uma necessidade urgente para diminuir o impacto da produção de alimentos no clima (Smith et al., 2008), e de melhorar a resiliência da produção de alimentos para as mudanças ambientais futuras (Smith et al., 2013a; Smith, 2015). De acordo com as projeções do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC), o setor agrícola será muito afetado com a mudança global do clima com impactos na sua produtividade, manejo e na distribuição espacial das culturas hoje existentes. Sendo assim, é necessário mudar o paradigma da agricultura com uso de práticas de manejo que favoreçam o equilíbrio dos atributos físicos e químicos do solo, como aumento dos teores de C, N, retenção de água, redução da perda de solo por erosão e lixiviação. De acordo com Lal (2006), solos degradados podem ser recuperados utilizando técnicas de manejo que aumentem o estoque de carbono. A adoção de sistemas de manejo mais sustentáveis, como a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), surge como uma alternativa em detrimento aos sistemas agrícolas convencionais, com grande potencial de promover melhorias na qualidade do solo, principalmente no que diz respeito ao aumento dos estoques de carbono, em curto e médio prazos (Lovato et al., 2004; Bayer et al., 2006; Gazolla et al., 2015; Nicoloso, 2008; Batlle-Bayer et al., 2010; Sacramento et al., 2013; Piva, 2012; Bayer e Mielniczuk, 1997; Piva, 2012). O sistema ILPF consiste na implantação de diferentes sistemas produtivos de grãos, fibras, carne, leite, agroenergia e outros, na mesma área, em plantio consorciado, sequencial ou rotacionado, aproveitando as sinergias existentes entre eles (MAPA, 2011). A matéria orgânica do solo (MOS) desempenha um papel crucial para a manutenção da atividade agrícola. O acúmulo da MOS promove melhorias nas propriedades física, biológica e química do solo, possibilitando um aumento na produtividade e redução de gastos com irrigação, fertilizantes, condicionadores de solo e outros insumos agrícolas. Entender como a MOS se comporta em diferentes tipos de manejo é essencial para o direcionamento de políticas públicas, que visem a disseminação de práticas agrícolas que aumentem os estoques de COS e reduzam as emissões de GEE. O estoque e balanço de carbono em áreas de agricultura, principalmente em sistemas de ILPF são pouco estudados e entendidos. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é avaliar as alterações nos compartimentos da matéria orgânica do solo decorrentes da implementação de diferentes tipos de manejo (Eucalipto, Lavoura, Pecuária e ILPF) em área de Cerrado, visando o potencial de acúmulo de carbono de cada um desses tipos de manejos.

Resumo: A inclusão do componente arbóreo aos subsistemas lavouras e pastagens representa um avanço na integração lavoura-pecuária, evoluindo para o conceito de ILPF, quando se adota sua modalidade agrossilvipastoril

Resumo: O desflorestamento para o estabelecimento de projetos agrícolas na Amazônia brasileira tem resultado em vastas áreas degradadas. Desta forma, sistemas de interação lavoura-pecuária-floresta (iLPF) tornam-se uma alternativa essencial para conciliar a produção agrícola com a sustentabilidade. Assim, objetivou-se com este trabalho avaliar o crescimento inicial de três espécies florestais: mogno africano (Khaya ivorensis), eucalipto urophylla (Eucalyptus urophylla) e paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum) para sua adaptação em sistemas de iLPF sobre áreas degradadas, no Leste da Amazônia. As avaliações de performance das espécies estudadas foram feitas por meio de um experimento conduzido na Fazenda Vitória, município de Paragominas, Estado do Pará, Brasil. No experimento foram comparadas as performances das espécies em sistema de iLPF e em monocultivo. As três espécies florestais mostraram crescimento satisfatório em altura e diâmetro em ambos os tratamentos. O mogno apresentou maior crescimento em altura e DAP no sistema iLPF enquanto que o eucalipto e o paricá tiveram maior crescimento somente em altura no sistema de monocultivo e nenhuma diferença em DAP. O paricá apresentou a maior percentagem de sobrevivência, seguido por mogno e eucalipto.

Resumo: O solo é um dos principais suportes para a produção agrícola e dele dependem os processos ambientais e a dinâmica de água no solo. A retenção de água como atributo limitante ao desenvolvimento dos vegetais está sendo seriamente comprometida pelo processo de degradação do solo em terras agrícolas, em função do padrão de manejo do solo, com baixa biodiversidade e alto grau de revolvimento pelas operações constantes de preparo do solo. O objetivo do presente estudo foi caracterizar atributos físico-hídricos de três perfis de solo no município de Arez, Rio Grande do Norte para subsidiar a implantação de sistemas conservacionistas envolvendo a integração lavoura, pecuária e floresta, em solos de textura arenosa. As amostras de solo com estrutura indeformada foram analisadas no Laboratório de Análises Físicas de Solo do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, para a determinação das variáveis: capacidade de aeração do solo, teor de água na capacidade de campo, ponto de murcha permanente, água disponível, capacidade de água disponível, densidade do solo, porosidades (total; macro e microporosidade), condutividade hidráulica saturada, granulometria, argila dispersa em água e grau de floculação. A capacidade de água disponível do solo aumentou em profundidade e a capacidade de aeração do solo foi maior em superfície. A porosidade total em superfície favoreceu a taxa de infiltração e a densidade do solo aumentou em profundidade. Os atributos tiveram relação com a posição dos mesmos na paisagem, com maior retenção de água na encosta, em cotas inferiores.

Resumo: Objetivou-se avaliar o desempenho dos clones de eucalipto VM01 e GG100 em diferentes espaçamentos entre árvores dentro do renque em sistema iLPF. No campo experimental da Embrapa, em Porto Velho, formou-se um sistema iLPF com seis renques, sendo três de GG100 e três de VM01. Os espaçamentos entre árvores dentro do renque foram de 3,5 m x 2,0 m e 3,5 m x 3,0 m. Aos 51 meses após o plantio, o VM01 apresentou maior sobrevivência, maior DAP e maior volume por parcela que o GG100.O DAP e o volume por árvore foram maiores no espaçamento mais amplo. O VM01 no espaçamento de 3,5 m x 3,0 m é a melhor combinação.

Resumo: As atividades humanas vêm alterando a cobertura e o uso da terra, promovendo um aumento dos gases de efeito estufa (GEE). Uma estratégia sustentável para mitigar o aumento dos GEE é o sistema integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), que integra atividades agrícolas, pecuárias e florestais em cultivo consorciado, em sucessão ou rotacionado na mesma área. Medições da concentração de CO2 na atmosfera ([CO2]) e efluxo de CO2 do solo (Esolo) são alguns dos parâmetros necessários para o estabelecimento do ILPF como um sistema sustentável. Foram conduzidas 3 campanhas intensivas de 24 horas de duração nos períodos: i) menos chuvoso de 2017; ii) mais chuvoso de 2018; e, transição de chuvoso para menos chuvoso de 2018, no município de Terra Alta, Pará, no leste da Amazônia. Os maiores valores da [CO2] e Esolo foram observados durante a campanha do período mais chuvoso de 2018, um indicativo de que a sazonalidade pode ter uma forte influência sobre essas duas variáveis.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva