agricultura sustentável

  • Resumo: Several studies indicate that the use of integrated production systems, such as integrated crop-livestock-forest systems (ICLF), improves the quality of the soil and consequently the sequestration of organic carbon in the soil. In this way, this work aims to evaluate the carbon stocks in soil under different management systems in the Cerrado/Amazonia transition zone, namely: ICLF, no-tillage, pasture and eucalyptus plantation. For this, two soil samplings were done in 2011 and 2014, in the 0 - 5, 5 - 10 and 10 - 30 cm layers. Soil carbon and nitrogen stocks were analyzed. ICLF system was the treatment that obtained the highest percentage of carbon gain (7.8%) after three years of establishment which represents to an increase of 5.5 Mg·ha-1. Management systems, such as ICLF, with minimal soil disturbance combined with crop rotations that contribute to the quantity and quality of residues input, increase soil organic matter content. Carbon stock data show the potential of ICLF systems to increase soil carbon stocks.

  • Resumo: O livro apresenta de forma sistematizada as contribuições e os resultados que foram gerados e entregues para a sociedade desde a criação da Embrapa Agrossilvipastoril. O recorte se dá nas ações desenvolvidas entre os anos de 2009, quando a Unidade foi criada, e 2016. O conteúdo da publicação está organizado em 11 partes temáticas: Água, Solo e Clima; Aproveitamento de resíduos; Automação; Sistemas Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF); Produção Animal; Produção Vegetal; Recomposição Florestal; Recursos genéticos e melhoramento vegetal; Transferência de Tecnologia; Comunicação Organizacional; e Área de Gestão e Suporte às Atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Transferência de Tecnologias.

  • Resumo: Objetivos da integração lavoura - pecuária; Tecnologias para a integração lavoura - pacuária; Regiões de clima temperado; Regiões de transição climática e regiões tropicais; Sistema Santa Fé; Sistema barreirão; Sistema mistos; Impactos da integração lavoura - pecuária na produção de bovinos; Vantagens da integração para o sistema agropecuário e para o meio ambiente; Referências.

  • Resumo: O cultivo de forrageiras em sucessão ou em consórcio com culturas anuais em áreas agrícolas é uma prática que tem crescido nos últimos anos. Esta prática visa à cobertura do solo e à melhoria do ambiente para produção de grãos. Em algumas situações estas forrageiras têm causado problemas devido ao excesso de produção, ao não serem pastejadas. Utilizam esta prática os agricultores que têm obtido grande disponibilidade de forragem durante a estação seca, época em que falta pasto para os pecuaristas tradicionais. Isto representa uma oportunidade para os agricultores diversificarem sua atividade, com recria e engorda de gado, em sistema de integração lavoura-pecuária. Embora por falta de conhecimento sobre o assunto, esses agricultores têm encontrado dificuldades para a escolha do gado no momento da compra. Alguns conhecimentos zootécnicos relacionados à aparência dos animais, tais com sexo, raça, tipo, idade e desenvolvimento, qualidade zootécnica, estado sanitário, entre outros, permitem aos agricultores a identificação no campo dos animais com características mais adequadas ao seu sistema de produção. Em decorrência da boa qualidade e disponibilidade das pastagens produzidas nas áreas de lavoura esses agricultores podem produzir animais para mercados mais exigentes, que pagam melhor por um produto de qualidade superior. Para este sistema são necessários animais com bom potencial genético, que ainda jovens possam estar com peso e acabamento requerido pelos frigoríficos.

  • Resumo: O país vem trabalhando no Plano ABC que incorpora bem o conceito de "intensificação sustentável", por meio da indução à adoção de sistemas de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF). O plano prevê o incremento da adoção de sistemas ILPF em 4 milhões de hectares até 2020. A ratificação do Acordo de Paris sobre mudança do clima pelo governo brasileiro, em 2016, fortaleceu ações desse plano, incluindo em sua "Contribuição Nacionalmente Determinada- INDC" (Intended Nationally Determined Contribution - INDC) o incremento de mais 5 milhões de hectares até 2030. Os sistemas ILPFs não dizem respeito a um sistema de produção em particular, mas sim a uma estratégia que pode incorporar diversas tecnologias e mesmo diversos sistemas de produção. Como pressuposto básico, preconiza a adoção do Sistema de Plantio Direto (SPD).

  • Resumo: Até o final do século passado, a agricultura cresceu e se desenvolveu baseada na expansão de novas áreas para o cultivo, levando a perda de grandes áreas de florestas nativas e ecossistemas naturais (Alexandratos e Bruinsma, 2003), acarretando na perda de serviços ambientais. De acordo com Lal (2006), aproximadamente metade de todo o COS em áreas manejadas foi perdido nos últimos 200 anos, sendo esta uma das principais causas da degradação e consequente declínio da fertilidade dos solos. Segundo Lal (2004), cerca de 3,3 Pg/ ano de carbono é emitido para a atmosfera devido ao preparo do solo para a produção de alimentos. Conforme descrito por Smith e Gregory (2013b) e Foley et al. (2011), ao mesmo tempo que garantir a segurança alimentar, há uma necessidade urgente para diminuir o impacto da produção de alimentos no clima (Smith et al., 2008), e de melhorar a resiliência da produção de alimentos para as mudanças ambientais futuras (Smith et al., 2013a; Smith, 2015). De acordo com as projeções do Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima (IPCC), o setor agrícola será muito afetado com a mudança global do clima com impactos na sua produtividade, manejo e na distribuição espacial das culturas hoje existentes. Sendo assim, é necessário mudar o paradigma da agricultura com uso de práticas de manejo que favoreçam o equilíbrio dos atributos físicos e químicos do solo, como aumento dos teores de C, N, retenção de água, redução da perda de solo por erosão e lixiviação. De acordo com Lal (2006), solos degradados podem ser recuperados utilizando técnicas de manejo que aumentem o estoque de carbono. A adoção de sistemas de manejo mais sustentáveis, como a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), surge como uma alternativa em detrimento aos sistemas agrícolas convencionais, com grande potencial de promover melhorias na qualidade do solo, principalmente no que diz respeito ao aumento dos estoques de carbono, em curto e médio prazos (Lovato et al., 2004; Bayer et al., 2006; Gazolla et al., 2015; Nicoloso, 2008; Batlle-Bayer et al., 2010; Sacramento et al., 2013; Piva, 2012; Bayer e Mielniczuk, 1997; Piva, 2012). O sistema ILPF consiste na implantação de diferentes sistemas produtivos de grãos, fibras, carne, leite, agroenergia e outros, na mesma área, em plantio consorciado, sequencial ou rotacionado, aproveitando as sinergias existentes entre eles (MAPA, 2011). A matéria orgânica do solo (MOS) desempenha um papel crucial para a manutenção da atividade agrícola. O acúmulo da MOS promove melhorias nas propriedades física, biológica e química do solo, possibilitando um aumento na produtividade e redução de gastos com irrigação, fertilizantes, condicionadores de solo e outros insumos agrícolas. Entender como a MOS se comporta em diferentes tipos de manejo é essencial para o direcionamento de políticas públicas, que visem a disseminação de práticas agrícolas que aumentem os estoques de COS e reduzam as emissões de GEE. O estoque e balanço de carbono em áreas de agricultura, principalmente em sistemas de ILPF são pouco estudados e entendidos. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é avaliar as alterações nos compartimentos da matéria orgânica do solo decorrentes da implementação de diferentes tipos de manejo (Eucalipto, Lavoura, Pecuária e ILPF) em área de Cerrado, visando o potencial de acúmulo de carbono de cada um desses tipos de manejos.

  • Resumo: Na ILPF pouco se sabe sobre os efeitos da sombra das árvores na fisiologia da cultura da soja, devido à alta complexidade do sistema. Balbino et al., (2011), relatam que a integração de árvores e cultivos agrícolas pode resultar na utilização mais eficiente de água, nutrientes e radiação solar por sua vez, Viana et al., (2012) mencionam que, à medida que as árvores crescem, ocorre redução na radiação no sub-bosque. Desta forma, avaliações de variáveis fisiológicas, são imprescindíveis para determinar a influência do ambiente sobre a planta, pois a atividade fotossintética é afetada pela intensidade de radiação luminosa, temperatura, concentração de CO2 e umidade do solo (Marenco; Lopes, 2005). Além disso, as variáveis como condutância estomática e taxa de transpiração são responsáveis pelo controle estomático e perda de agua pela planta, que são fundamentais para assimilação do CO2 disponível na atmosfera afetando o crescimento e a produção da planta. As clorofilas são responsáveis pela captura da luz usada na fotossíntese e essenciais na conversão da radiação luminosa em energia química (Jesus; Marenco, 2008). Outro fator que influi no crescimento da cultura é o índice de área foliar (IAF), utilizado para avaliar respostas das plantas a diferentes condições de ambiente. Haja vista a importância dos impactos promovidos pelo sombreamento nos processos fisiológicos da soja, provocado pelo componente florestal e a escassez de estudos em sistemas de ILPF, o estudo objetivou avaliar as características fisiológicas da cultura da soja em sistemas de cultivo exclusivo e de ILPF e sua produtividade, após quatro anos de implantação do sistema.

  • Resumo: Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF); Preparo e seleção de material de plantio de mandioca; Diversificação da produção e segurança alimentar; Manejo da cultura da goiabeira: Práticas culturais; Adubação verde - Opões para outono/inverno, primavera/verão e especies perenes; Planejamento alimentar na bovinocultura leiteira; Cultivares de feijão; fixação biológica de nitrogênio: Uso de inoculante no feijoeiro; Milhos especiais da Embrapa - Variedades e multiplicação para a agricultura familiar; opções para diversificação na segunda safra. Integração lavoura - pecuária. Consórcio milho - braquiária; Sistemas agroflorestais em bases agroecológicas; Adubação verde e plantio direto em sistemas de base agroecológica; Aproveitamento de materiais orgânicos e produção de húmus; compostagem; Produção de mudas de videira; Baculovírus erinnyis para o controle biológico do mandarová da mandioca.

Associadas Rede ILPF

Secretaria Executiva